EXTERIORIZAÇÃO DOS DENTES LUPINOS EM EQÃœINOS DA RAÇA MANGALARGA MARCHADOR

Autores

  • SILVA, F.O.C. FAMEV - UFU
  • BONATO, G.L. FAMEV - UFU
  • SANTANA, J.A. FAMEV - UFU

Palavras-chave:

Dente lupino, exteriorização, eqüino, Mangalarga Marchador.

Resumo

Nota-se uma escala evolutiva notavelmente completa nos eqüinos, através da descoberta de registros fósseis desta espécie. Ao contraio da maioria dos animais, nos eqüinos foi possível reconstituir a sua filogenia. Este fato é de grande importância para o conhecimento da espécie, pois podemos melhor compreendê-la acompanhando as mudanças que o meio ambiente determina, ou seja, as adaptações impostas pela natureza, à medida que as dificuldades de sobrevivência foram surgindo. Durante o processo evolutivo dos eqüinos (Equus caballus), a sua arcada dentária sofreu modificações, permanecendo assim dois dentes afuncionais chamados dentes de lobo ou lupinos, que correspondem aos primeiros dentes pré-molares maxilares. A fim de observar a exteriorização dos dentes lupinos em eqüinos da raça Mangalarga Marchador foram utilizados trinta (30) animais, sendo dezessete (17) fêmeas e treze (13) machos provenientes do haras Zandonaide, no município de Sacramento-MG, com auxílio de funcionários do haras, sendo um para abrir a boca do animal com a utilização do cachimbo, e outro para o deslocamento da língua a fim de facilitar a visualização. Os referidos dentes foram encontrados em quatro (4) espécimes machos (13,33%) junto as arcadas dentárias superiores, sendo bilaterais em dois casos (6,66%), um lateral direito (3,33%) e outro lateral esquerdo (3,33%).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-02-12

Como Citar

F.O.C., S., G.L., B., & J.A., S. (2008). EXTERIORIZAÇÃO DOS DENTES LUPINOS EM EQÃœINOS DA RAÇA MANGALARGA MARCHADOR. Veterinária Notícias - Vet Not, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18749

Edição

Seção

Artigos