ACIDENTE POR INGESTÃO DE Ricinus communis EM CÃES (Canis familiaris, L. 1758) - RELATO DE CASO

Autores

  • M.J.L. Cardoso, H.S.Fernandes, L.S.A. Lima, F.Q. Moutinho UNESP
  • M. Sakate UNESP

Palavras-chave:

cão, mamona, Ricinus communis,

Resumo

Relatou-se dois casos de intoxicação por Ricinus (R.) communis em cães atendidos no Serviço de Clínica de Pequenos Animais - FMVZ - UNESP - Botucatu - SP, sendo um deles proveniente de clínica particular. A ingestão das folhas de R. communis provoca intoxicação com sinais neurológicos e as sementes provocam predominantemente sinais gastrintestinais, pois as mesmas irritam a mucosa gástrica. Os cães são mais freqüentemente intoxicados pela ingestão de colares ou outros adereços fabricados a partir de sementes, ingestão de óleo de ricino, torta de mamona ou resíduos utilizados como adubo. A recuperação rápida do cão do primeiro caso deve-se, provavelmente, à pequena quantidade ingerida e ao rápido atendimento, enquanto que no segundo caso, a grande quantidade ingerida foi a responsável pela gravidade dos sinais e a recuperação demorada deste paciente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-10

Como Citar

Cardoso, H.S.Fernandes, L.S.A. Lima, F.Q. Moutinho, M., & Sakate, M. (2007). ACIDENTE POR INGESTÃO DE Ricinus communis EM CÃES (Canis familiaris, L. 1758) - RELATO DE CASO. Veterinária Notícias - Vet Not, 11(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18633

Edição

Seção

Artigos