MASTÓCITOS EM CONDIÇÕES NORMAIS E PATOLÓGICAS — REVISÃO

Autores

  • Raquel Rubia Rech Doutoranda. UFSM - Santa Maria-RS
  • Dominguita Lühers Graça UFSM - Santa Maria-RS

Palavras-chave:

mastócitos, inflamação, anafilaxia, mastocitomas

Resumo

Os mastócitos são células importantes na imunidade e em condições patológicas do homem e de animais. A literatura mostra a descoberta de múltiplas funções dessas células bem como seu envolvimento na patogênese de determinadas doenças. Há um aumento considerável no número de modelos experimentais usados para demonstrar as atividades biológicas dos mastócitos. Essas células são reconhecíveis por métodos imunoenzimáticos para a detecção de quimase/triptase. Na ultra-estrutura, são observados grânulos característicos que estocam aminas biogênicas, enzimas e proteoglicanos. A ativação dos mastócitos depende de receptores de alta e baixa afinidade para imunoglobulinas: FcεRI, FcγRII e FcγRIII, e pode ser feita, alternativamente, por moléculas ligadas a imunoglobulina (interleucina, fragmentos do complemento) e a parasitas. Os mastócitos participam da indução da inflamação aguda e da reparação tecidual na fase crônica do processo. Essas células promovem as reações agudas e tardias da anafilaxia e estão associadas com condições proliferativas como mastocitose e mastocitoma, ambas relatadas em humanos e animais. A pesquisa atual visa conhecer profundamente os aspectos relacionados aos mastócitos para minimizar seus efeitos deletérios locais e sistêmicos.Os mastócitos são células importantes na imunidade e em condições patológicas do homem e de animais. A literatura mostra a descoberta de múltiplas funções dessas células bem como seu envolvimento na patogênese de determinadas doenças. Há um aumento considerável no número de modelos experimentais usados para demonstrar as atividades biológicas dos mastócitos. Essas células são reconhecíveis por métodos imunoenzimáticos para a detecção de quimase/triptase. Na ultra-estrutura, são observados grânulos característicos que estocam aminas biogênicas, enzimas e proteoglicanos. A ativação dos mastócitos depende de receptores de alta e baixa afinidade para imunoglobulinas: FcεRI, FcγRII e FcγRIII, e pode ser feita, alternativamente, por moléculas ligadas a imunoglobulina (interleucina, fragmentos do complemento) e a parasitas. Os mastócitos participam da indução da inflamação aguda e da reparação tecidual na fase crônica do processo. Essas células promovem as reações agudas e tardias da anafilaxia e estão associadas com condições proliferativas como mastocitose e mastocitoma, ambas relatadas em humanos e animais. A pesquisa atual visa conhecer profundamente os aspectos relacionados aos mastócitos para minimizar seus efeitos deletérios locais e sistêmicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-17

Como Citar

Rech, R. R., & Lühers Graça, D. (2007). MASTÓCITOS EM CONDIÇÕES NORMAIS E PATOLÓGICAS — REVISÃO. Veterinária Notícias, 12(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18669

Edição

Seção

Artigos