Environmental Vulnerability of the Buriticupu River Water Basin, Maranhão - Brazil: The Relief as a Key Element
PDF-pt (Português (Brasil))
PDF-en

Keywords

Amazon
Environmental Planning
Land Use and Land Cover
Geoprocessing
Water Resources

How to Cite

MEDEIROS, R. B.; SANTOS, L. C.; BEZERRA, J. F. R.; SILVA, Q. D.; MELO, S. N. Environmental Vulnerability of the Buriticupu River Water Basin, Maranhão - Brazil: The Relief as a Key Element. Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 35, n. 1, 2023. DOI: 10.14393/SN-v35-2023-66679. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/66679. Acesso em: 23 jul. 2024.

Abstract

Studying a watershed in the Amazon region requires understanding that this region has national and global relevance. The fact that the study area is located in the so-called arc of deforestation raises the need to understand its context, its vulnerabilities, and its physical, environmental, and anthropic components. This research assesses the environmental vulnerability of the Buriticupu River Watershed in Maranhão State, Brazil. The aim is to foster improvements that may contribute to environmental planning and, specifically, to water resource management. For this purpose, the authors used the Geographic Information System environment to work with Map Algebra, interrelating primary and secondary data on geology, relief, pedology, and land use and land cover to generate synthesis cartography. The results pointed to areas with predominantly medium vulnerability. However, the analyses highlight alluvial plains, which became the most fragile areas from an environmental point of view. This is mainly because these areas comprise water-saturated soils (gleysols), unconsolidated deposits of sand and silt (alluvial deposits), and extensive humid vegetation, characteristics of igapó and floodplain forests. This research generated a document that applies is applicable to the study area. It also provided, in a systemic and integrated way, a product that will help in planning, which is very important for the creation of a watershed committee, something necessary and still embryonic in Maranhão State, Brazil.

https://doi.org/10.14393/SN-v35-2023-66679
PDF-pt (Português (Brasil))
PDF-en

References

ARGENTO, M. S. F. A Planície Deltaica do Paraíba do Sul - Um Sistema Ambiental. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 1979.

BRASIL. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nºs 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória nº 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, 25 de maio de 2012.

BRASIL. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial da União: Brasília, 8 de janeiro de 1997.

BRASIL. Lei no. 5.371 de dezembro de 1967. Autoriza a instituição da "Fundação Nacional do Índio" e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, 5 de dezembro de 1967; 146º da Independência e 79º da República.

BRUGNOLLI, R. M.; PINTO, A. L.; MIGUEL, A. E. S.; OLIVEIRA, G. H. de. Avaliação da Vulnerabilidade Ambiental na Área do Assentamento São Joaquim, Selvíria/MS. Revista Caminhos de Geografia, Uberlândia. v. 15, n. 49, p. 126-137. 2014. https://doi.org/10.14393/RCG154923822

CAJAIBA, R.L.; PEREIRA, K.S.; MARTINS, J.S.C.; SOUSA, E.S.; SILVA, W.B. Megasoma actaeon (Linnaeus) (Scarabaeidae: Dynastinae): first record for Maranhão state, northeastern Brazil. Scientia Amazonia, v. 8, p. 13-16, 2019. Disponível em: https://www.conhecer.org.br/enciclop/2019a/bio/avaliacao.pdf. Acesso em: 30 jul, 2022.

CELENTANO, D. et al. Desmatamento, degradação e violência no "Mosaico Gurupi" - A região mais ameaçada da Amazônia. Estudos Avançados, São Paulo, v. 32, n. 92, p. 315-339, 2018. https://doi.org/10.5935/0103-4014.20180021

CPRM, COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS. Portal GeoBank. 2013. Disponível em: https://geoportal.cprm.gov.br/geosgb/. Acesso em: 02 mai. 2021.

CREPANI, E. M.; et. al. Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento aplicados ao Zoneamento Ecológico-Econômico e ao Ordenamento físico-territorial. São José dos Campos INPE, 2001 (INPE-8454-RPQ72). 124p. Disponível em: http://sap.ccst.inpe.br/artigos/CrepaneEtAl.pdf. Acesso em: 15 Jun. 2021.

EMBRAPA, EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3.ed. Brasília, 2018. 353p. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/199517/1/SiBCS-2018-ISBN-9788570358004.pdf. Acesso em: 25 Jan. 2022.

GOUVEIA, I. C. M. C.; ROSS, J. L. S. Fragilidade Ambiental: uma Proposta de Aplicação de Geomorphons para a Variável Relevo. Revista Do Departamento De Geografia, São Paulo, v. 37, 2019. https://doi.org/10.11606/rdg.v37i0.151030

GUIRRA, A. M. P. et al. A evolução metodológica de Fragilidade Ambiental no Brasil e seu aspecto transdisciplinar In: IV Simpósio Nacional sobre Cidades Pequenas, Universidade Federal de Uberlândia [Anais...]. 2016. Observatório das Cidades, Ituiutaba, 2016, p. 234-250.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico de 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro, 2010.

IBGE, Instituto de Brasileiro de Geografia e Estatística. Portal Geociências. 2021. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/downloads-geociencias.html. Acesso em: 02 mai. 2021.

IMESC, INSTITUTO MARANHENSE DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS E CARTOGRÁFICOS. Zoneamento Ecológico-Econômico do Estado do Maranhão. 2020. Disponível em: http://www.zee.ma.gov.br/Portal/basededados. Acesso em: 28 abr. 2021.

LEAL, J. M.; AQUINO, C. M. S.; AQUINO, R. P.; VALLADARES, G. S. Vulnerabilidade ambiental no município de São Miguel do Tapuio, Piauí: Bases para o ordenamento territorial. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 12, 2019. https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.2.p608-621

LIMA, J. S.; CAJAIBA, R. L.; MARTINS, J. S. C.; PEREIRA, K. S.; SOUSA, E. S. Educação ambiental em resíduos sólidos em escolas no município de Buriticupu-MA. Scientia Amazonia, v. 7, p. 122-127, 2018. Disponível em: http://scientia-amazonia.org/wp-content/uploads/2017/08/v7-n1-122-127-2018.pdf. Acesso em: 02 Mai. 2022.

MAPBIOMAS. Coleção MapBiomas. 2020. Disponível em: https://mapbiomas.org/colecoes-mapbiomas-1?cama_set_language=pt-BR. Acesso em: 05 mai. 2021.

MAPBIOMAS. Plataforma de mapas e dados. s.d. Disponível em: https://plataforma.brasil.mapbiomas.org/. Acesso em: 05 mai. 2021.

NASA, National Aeronautics and Space Administration. ASF Data Search. 2020. Disponível em: https://search.asf.alaska.edu/. Acesso em: 05 mai. 2021.

NICASIO, K. L.; SANTOS, F. M. B. dos; SILVA, K. M. A. da; MARTINS, J. da S. C.; CAJAÍBA, R. L. Avaliação ambiental de lagoas naturais e artificiais no município de Buriticupu, MA. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.16, n. 29, 2019. https://doi.org/10.18677/EnciBio_2019A136

QGIS Development Team, 2022. QGIS Desktop 3.22.5. Geographic Information System. Open Source Geospatial Foundation Project.

RITTERS, K.H.; O’NEIL, R.V.; HUNSAKER, C.T.; WICKHAM, J.D.; YANKEE, D.H. TIMMINS, S.P. A factor analysis of landscape pattern and structure metrics. Landscape Ecology, v.10, n.1, p. 23-39, 1995. https://doi.org/10.1007/BF00158551

ROSS, J. L. S. Geomorfologia: ambiente e planejamento. São Paulo: Contexto, 1990. 88p.;

ROSS, J. L. S. & FIERZ, M. de S. M. Geomorfologia aplicada ao planejamento ambiental territorial: potencialidades e fragilidades In: MAGNONI JÚNIOR, L. et al (org.). Redução do risco de desastres e a resiliência no meio rural e urbano, Centro Paula Souza, São Paulo, 2017. p.58-77

ROSS, J. L. S. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e antropizados. Revista do Departamento de Geografia/USP, São Paulo, n. 8, p. 63-73, 1994. https://doi.org/10.7154/RDG.1994.0008.0006

SANTOS, L. C. A. dos; SOARES, I. G. Caracterização da vulnerabilidade ambiental na bacia hidrográfica do rio Preto, Maranhão - Brasil. Geografia, Londrina/PR, v. 29, n. 1, p. 85-105, 2020. https://doi.org/10.5433/2447-1747.2020v29n1p85

SILVA, C. A.; BEREZUK, A. G. Geografia, Geografia Física: o pensar e o fazer geográfico em um mundo-tempo pandêmico, remoto e autocrático. In: Charlei Aparecido da Silva; André Geraldo Berezuk; Camila Riboli Rampazzo; Adelsom Soares Filho. (Org.). Geografia & Pesquisa: do pensar e do fazer. 1ed.Porto Alegre (RS): TotalBooks, 2021, v. p. 13-40. https://doi.org/10.52632/978.65.88393.20.8.1

SPÖRL, C. Metodologia para elaboração de modelos de fragilidade ambiental utilizando redes neurais. 2007. Tese (Doutorado em Geografia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

STEFFEN, W.; SANDERSON, A.; TYSON, P. D.; JÄGER, J.; MATSON, P. A.; MOORE III, B.; OLDFIELD, F.; RICHARDSON, K.; SCHELLNHUBER, H. J.; TURNER, B. L.; WASSON, R. J. Global change and the earth system: A planet under pressure, New York: Springer-Verlag Berlin Heidelberg, 2004. https://doi.org/10.1007/b137870

TREVISAN, D. P.; MOSCHINI, L. E.; DIAS, L. C. C.; GONÇALVES, J. C. Avaliação da vulnerabilidade ambiental de são carlos – SP. Revista Ra’eGa, Curitiba, v. 44, 2018. http://dx.doi.org/10.5380/raega.v44i0.50439

UNDP, UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME. Reducing disaster risk: a challenge for development. A global report. Nova York: UNDP - Bureau for crisis prevention and recovery (BRCP), 2004.

USGS, UNITED STATES GEOLOGICAL SURVEY. Earth Explorer - Sentinel 2B. 2020. Disponível em: https://earthexplorer.usgs.gov/. Acesso em: 02 mai. 2020.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Rafael Brugnolli Medeiros, Luiz Carlos Santos, José Fernando Rodrigues Bezerra, Quesia Duarte Silva, Silas Nogueira Melo

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...