A cultura popular no contexto da Escola Família Agrícola de Natalândia

contribuições e perspectivas para a formação integral do sujeito

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2023-67232

Palavras-chave:

Cultura, Cultura Popular, Escola Família Agrícola, Formação Integral, Manisfestações Culturais

Resumo

O artigo tem como objetivo compreender como a valorização da cultura popular local e/ou regional pode contribuir com a formação integral do sujeito. Além disso, visa definir os conceitos de cultura e de cultura popular, identificar traços da cultura popular no contexto da Escola Família Agrícola (EFAN) de Natalândia e perceber a visão do profissional da EFAN acerca da cultura popular local/regional. O estudo se caracteriza como uma pesquisa de campo, enquadrada na abordagem qualitativa. Quanto aos procedimentos, realizou-se uma entrevista semiestruturada, feita por meio da Plataforma Zoom. Realizou-se, também, uma revisão bibliográfica, por meio do levantamento de artigos e livros de renomados autores, como Santaella (2003), Santos (1983), Souza e Pereira (2014), Lopes e Macedo (2011), Pessoa (2018), Benjamin (1996), entre outros que discutem os conceitos de cultura e cultura popular. O conteúdo e os dados foram analisados de forma crítica. Os resultados revelaram que existem inúmeras estratégias pedagógicas para auxiliar os estudantes, em especial os da EFAN, na valorização e aproximação da cultura popular local/regional. Portanto, ao trabalhar com manifestações da cultura popular na escola, propicia-se ao indivíduo desenvolver consciência política, de classe, de pertencimento, de valorização do seu espaço de vivência e de fortalecimento da identidade camponesa.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Belchior Ribeiro Leite, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil; supervisor pedagógico e professor na rede municipal de educação de Riachinho, Minas Gerais, Brasil.

Rosa Amélia Pereira da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília

Doutora em Literatura e Práticas Sociais pela Universidade de Brasília, Brasil; estágio pós-doutoral na Universidade de São Paulo, Brasil; professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília, Brasil.

Referências

ARANTES, A. A. O que é cultura popular. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 1998.

BENJAMIN, W. Obras escolhidas. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. 10. reimpr. São Paulo: Brasiliense, 1996. (Coleção Magia e Técnica, Arte e Política v. 1).

BRANDÃO, C. R. O que é educação popular. São Paulo: Brasiliense, 2012.

CHAUÍ, M. Conformismo e resistência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2018.

CIAVATTA, M. Trabalho como princípio educativo. In: FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Dicionário da Educação Profissional em saúde, Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.sites.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/trapriedu.html#topo. Acesso em: 7 set. 2021.

FOERSTE, E. et al. (org.). Pedagogia da alternância: 50 anos em Terras Brasileiras. Curitiba: Appris, 2019.

FROSSARD, A. C. Conhecendo a pedagogia da alternância: contextualização, questões teóricas e práticas. Nova Friburgo: Frossard, 2018.

GRAMSCI, A. Intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

MOREIRA, A. F. Aprendizagem significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Livraria da Física, 2011.

MOURA, D. H. Ensino médio integrado: subsunção aos interesses do capital ou travessia para a formação humana integral? Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 3, p. 705-720, jul./set. 2013. DOI 10.1590/S1517-97022013000300010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/c5JHHJqdxyTnwWvnGfdkztG/abstract/?lang=pt. Acesso em: 7 set. 2021.

PEREIRA, T. J.; SOUZA, G. M. Material didático-pedagógico do PRONATEC. Brasília: Projeção, 2014.

PESSOA, J. M. Cultura popular: gestos de ensinar e aprender. Petrópolis: Vozes, 2018.

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO. EFAN de Natalândia. Natalândia, 2020. Disponível em: https://www.efan.com.br/pedagogico. Acesso em: 22 nov. 2020.

RAMOS, M. N. Concepção de ensino médio integrado. Natal: Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Norte, 2008. Disponível em: https://tecnicadmiwj.files.wordpress.com/2008/09/texto-concepcao-do-ensino-medio-integrado-marise-ramos1.pdf. Acesso em: 20 nov. 2022.

ROCHA, S. O educador Tião Rocha fala sobre folclore e cultura popular. Nova Escola, São Paulo. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/42/o-educador-tiao-rocha-fala-sobre-folclore-e-cultura-popular. Acesso em: 10 maio 2022.

SANTAELLA, L. Cultura e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.

SANTOMÉ, J. T. As culturas negadas e silenciadas no Currículo. In: SILVA, T. T. (org.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

SANTOS, J. L. O que é cultura popular. São Paulo: Brasiliense, 1983.

Downloads

Publicado

28-04-2023

Como Citar

LEITE, B. R.; SILVA, R. A. P. da. A cultura popular no contexto da Escola Família Agrícola de Natalândia: contribuições e perspectivas para a formação integral do sujeito. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 22, n. 1, p. 61–81, 2023. DOI: 10.14393/REP-2023-67232. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/67232. Acesso em: 24 maio. 2024.