A crise entre Theodor Adorno e o movimento estudantil alemão no final dos anos 60

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPRIM-v6n12a2021-63590

Palavras-chave:

Teoria Crítica, Emancipação, Theodor Adorno, Movimento Estudantil

Resumo

Resumo: Neste artigo abordaremos a crise entre Theodor Adorno e movimento estudantil alemão do final dos anos 60, crise esta que causa espanto a princípio, pois Adorno, um filósofo de influência marxista e referência para a esquerda da época, chegou a recorrer à polícia contra os estudantes. O presente artigo visa contextualizar melhor esse conflito, tanto política quanto teoricamente, e por isso vamos analisar a visão de Adorno sobre as possibilidades de emancipação; o papel de Adorno no movimento estudantil; um texto de Hans Jurgen Krahl, ex-aluno de Adorno engajado no movimento estudantil, sobre a posição político-intelectual de seu antigo mestre; e, por último, uma importante entrevista de Adorno revolvendo estes fatos e o contexto da época.

Palavras-chave: Teoria Crítica; Emancipação; Theodor Adorno; Movimento Estudantil.

The crisis between Theodor Adorno and the german student movement in the late 60s

Abstract: In this article, we will address the crisis between Theodor Adorno and the german student movement of the late 1960s, a crisis that is startling at first, as Adorno, a marxist-influenced philosopher and a reference to the left at the time, even resorted to the police against students . This article aims to better contextualize this conflict, both politically and theoretically, and that is why we will analyze Adorno's vision of the possibilities of emancipation; Adorno's role in the student movement; a text by Hans Jurgen Krahl, a former student of Adorno engaged in the student movement, on the political-intellectual position of his former teacher; and, finally, an important interview by Adorno revolving around these facts and the context of the time.

Key-words: Critical Theory; Emancipation; Theodor Adorno; Student Movement.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Rodrigues Placido, Universidade Federal de Uberlândia

Mestrando em Filosofia – Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

ADORNO, Theodor W. “A filosofia muda o mundo ao manter-se como teoria” (Entrevista), Revista Der Spiegel, número 19, 1969. Publicado na Folha de S. Paulo, Caderno Mais!, 31/08/2003, trad. G. Cohn. Disponível em: http://www.mom.arq.ufmg.br/mom/02_babel/textos/adorno-entrevista.pdf

ADORNO, Theodor W. “Notas marginais sobre teoria e prática”, 2019 (1969). Disponível em:

http://www.mom.arq.ufmg.br/mom/02_babel/textos/adorno_notas_marginais.pdf

ADORNO, Theodor W. Minima moralia. Lisboa: Edições 70, 2001.

ADORNO, Theodor W. Dialética negativa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

ADORNO, T. W. Adorno & Marcuse, Herbert. Cartas maio e junho de 1969, In: Folha de S. Paulo, 24 de agosto de 1997, Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs240818.htm

AVRITZER, Leonardo. “Teoria crítica e teoria democrática: do diagnóstico da impossibilidade da democracia ao conceito da esfera pública”, In: Novos estudos/Cebrap, número 53, março de 1999, p. 167-188.

HORKHEIMER, Max. “Teoria crítica e teoria tradicional”, In: Textos escolhidos (Benjamin, Adorno, Horkheimer, Habermas). São Paulo: Abril cultural, 1983, p. 117-154.

ESTEVES, Anderson A.. “Catálise para mudança social qualitativa ou efeito descivilizador? O estatudo dos movimentos estudantil e extraparlamentar em Herbert Marcuse e Norbert Elias”. Marília: Kínesis, v. 11, p. 15-37, 2019 https://doi.org/10.36311/1984-8900.2019.v11.n28.03.p15

KONDER, Leandro. “Marcuse, revolucionário”. Physis [online]. 1998, vol.8, n.1, pp.15-28

https://doi.org/10.1590/S0103-73311998000100002 .

KRAHL, Hans-Jürgen. La contradicción política de la Teoría Crítica de Adorno, 2009 (1969). Disponível em:

https://www.sinpermiso.info/textos/la-contradiccin-poltica-de-la-teora-crtica-de-adorno

LIMA, Bruna D. T. de C., & Santos, Eduardo A. C.. “Em rota de colisão: Adorno, Marcuse e os Movimentos Estudantis”. Campinas: Ideias, 7(2), 2017, p. 37–58. https://doi.org/10.20396/ideias.v7i2.8649495

NOBRE, Marcos. A Teoria crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

MARX, Karl & Engels, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Penguim Classics, Companhia das Letras,2012.

https://doi.org/10.9771/gmed.v5i1.9647

RODRIGUEZ, José Rodrigo. “Franz Neumann: o direito liberal para além de si mesmo”, In: Marcos Nobre [org.]. Curso livre de teoria crítica. Campinas: Papirus, 2008, p. 97-114.

RUGITSKY, Fernando. “F. Pollock: limites e possibilidades”, In: Marcos Nobre [org.]. Curso livre de teoria crítica.Campinas: Papirus, 2008, p. 53-72.

WIGGERSHAUS, Rolf. A escola de Frankfurt: história, desenvolvimento teórico, significação política. São Paulo: Difel, 2002, p. 642-668.

WIGGERSHAUS, Rolf. “O cortante se transforma em estímulo”. Revista Tempo Brasileiro, Adorno 100 anos, número 155. Rio de Janeiro, out/dezembro 2003, p. 55-66.

Downloads

Publicado

2022-06-21

Como Citar

RODRIGUES PLACIDO, D. A crise entre Theodor Adorno e o movimento estudantil alemão no final dos anos 60. PRIMORDIUM - Revista de Filosofia e Estudos Clássicos, Uberlândia, v. 6, n. 12, 2022. DOI: 10.14393/REPRIM-v6n12a2021-63590. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/primordium/article/view/63590. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos