https://seer.ufu.br/index.php/primordium/issue/feed PRIMORDIUM - Revista de Filosofia e Estudos Clássicos 2022-07-13T00:00:00-03:00 Comitê Executivo Editorial Primordium revistaprimordium@ifilo.ufu.br Open Journal Systems <p>ISSN: 2526-2106 Ano de fundação: 2016 Periodicidade Semestral </p> <p>A <em>Primordium</em> – Revista de Filosofia e Estudos Clássicos é um Periódico Eletrônico vinculado ao Instituto de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia, que tem como propósito o incentivo à investigação e ao debate acadêmico acerca de Filosofia e Estudos Clássicos (Grego e Latim), assumindo a tarefa de ser um instrumento de divulgação do conhecimento científico produzido a partir de pesquisas discentes de programas de graduação e pós-graduação em Filosofia e Estudos Clássicos.</p> <p><em><strong>Recebimento de submissões aberto em fluxo contínuo! </strong></em><strong>Estamos recebendo artigos e resenhas para o volume de 2023.</strong></p> <ul> <li><strong>Política de Acesso Livre: </strong>Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.<br /><strong>Fontes de Apoio: </strong><a href="http://www.cocfi.ufu.br/">COCFI</a> - Coordenação do Curso de Filosofia</li> </ul> https://seer.ufu.br/index.php/primordium/article/view/62885 Noção de causalidade no pensamento de Aristóteles 2021-08-21T14:10:52-03:00 Paulo Vitor Pinho de Siqueira paulovitorpvvv@gmail.com <p><strong>Resumo: </strong>Neste artigo, nosso objetivo é expor a doutrina das quatro causas de Aristóteles de um modo geral, isto é, de uma perspectiva abrangente, tanto para aquele que já se debruçou sobre o assunto quanto para aquele que nunca o estudou. Começaremos abordando a importância e o conceito de causa em Aristóteles, onde explicitaremos algumas noções preliminares e importantes da aitiologia aristotélica. Em seguida, exporemos todos os quatro tipos de causa, a saber, as causas que posteriormente ficaram conhecidas como material, formal, eficiente e final. Por fim, analisaremos os modos de causa - os quais são, muitas das vezes, ignorados - elucidando alguns pontos e distinções importantes.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Conhecimento; Causalidade; Material; Formal; Eficiente; Final.</p> <p> </p> <p><strong>Notion of causality in Aristotle's thought</strong></p> <p><strong>Abstract: </strong>In this article, our goal is to show the four causes doctrine of Aristotle in a general way, that is, from a comprehensive perspective, for both the person that already has studied the subject and for the person that never studied. We’ll start by adressing the importance and the concept of cause in Aristotle’s thinking, where we’ll show some preliminar and important notions of the aristotelic aitiology. Then we’ll expose all four types of cause, namely, the causes that later became known as material, formal, efficient and final. Finally, we’ll examine the ways of cause, which are often ignored, elucidating some important points and distinctions.</p> <p><strong>Keywords:</strong> Knowledge; Causality; Material; Formal; Efficient; Final.</p> <p> </p> <p class="DATAREGISTROACEITE">Data de registro: 20/08/2021</p> <p class="DATAREGISTROACEITE">Data de aceite: 18/03/2022</p> 2022-07-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Paulo Vitor Pinho de Siqueira https://seer.ufu.br/index.php/primordium/article/view/64031 Distinção de razão e o princípio de separabilidade em David Hume 2021-12-20T11:08:05-03:00 Vitória Elís Martins Fonseca elisvitoriamf@ufu.br <p><strong>Resumo:</strong> Este trabalho consiste em uma análise mais aprofundada da seção 1.1.7<a href="#_ftn1" name="_ftnref1">[1]</a> do Tratado da Natureza Humana de David Hume, a fim de analisar a teoria das ideias abstratas e propor que, para nós, ela se trata de uma teoria nominalista baseada em mecanismos associativos. Também é nosso objetivo apresentar e explicar o conceito de distinção de razão, o qual surge para explicar como seria possível distinguir ideias que não são separáveis, ou seja, ideias simples. No entanto, esse conceito vem acompanhado de um princípio – o de separabilidade – que pode implicar em uma incongruência, dado que esse princípio tem como função distinguir, diferenciar e separar ideias. Além disso, vamos também analisar uma possível aproximação do conceito de distinção de razão com a atividade de abstração comumente defendida por outros filósofos, a fim de saber se Hume está caracterizando a distinção de razão como uma forma de manifestação das ideias abstratas ou não.</p> <p><strong>Palavras chave:</strong> Ideias abstratas; Distinção de razão; Princípio de separabilidade; Semelhança; David Hume.</p> <p> </p> <p><strong>The Distinction of Reason and the Separability Principle in David Hume</strong></p> <p><strong>Abstract: </strong>This paper consists of a deeper analysis of section 1.1.7 of David Hume's Treatise of Human Nature, in order to analyze the theory of abstract ideas and propose that, for us, it is a nominalist theory based on associative mechanisms. It is also our goal to present and explain the concept of distinction of reason, which arises to explain how it would be possible to distinguish ideas that are not separable, that is, simple ideas. However, this concept comes accompanied by a principle - that of separability - which may imply an incongruence, given that this principle has the function of distinguishing, differentiating and separating ideas. Furthermore, we will also analyze a possible approximation of the concept of distinction of reason with the activity of abstraction commonly advocated by other philosophers, in order to know whether Hume is characterizing the distinction of reason as a form of manifestation of abstract ideas or not.</p> <p><strong>Keywords:</strong> Abstract ideas; Distinction of reason; Separability principle; Resemblance; David Hume.</p> <p> </p> <p><a href="#_ftnref1" name="_ftn1">[1]</a> A partir de agora o <em>Tratado da natureza humana</em>, de David Hume, passará a ser citado pela referência padrão da obra na edição Norton e Norton, com os números designando respectivamente Livro, Parte, Seção e Parágrafo.</p> <p> </p> <p class="DATAREGISTROACEITE"><span style="font-size: 11.0pt;">Data de registro: 20/12/2021</span></p> <p class="DATAREGISTROACEITE"><span style="font-size: 11.0pt;">Data de aceite: 06/05/2022</span></p> 2022-07-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Vitória Elís Martins Fonseca