Experiências com o ensino híbrido a partir de seminários virtuais assíncronos: contribuições para um cenário de mudanças

Conteúdo do artigo principal

Viviane Patrícia Pereira Félix
https://orcid.org/0000-0002-0118-373X
Ivanderson Pereira da Silva
https://orcid.org/0000-0001-9565-8785

Resumo

O Ensino de Ciências da Saúde em nível Superior ainda percebe, de forma predominante, seus aprendizes como receptores de informações. Diante desse cenário, foram propostos seminários virtuais assíncronos de Histologia, a fim de promover o protagonismo dos estudantes do 1º ano do Curso de Enfermagem de uma Universidade Pública de Alagoas. O presente estudo teve por objetivos: compreender as demandas formativas que se apresentam na sociedade em face do contexto da cibercultura; explorar as potencialidades dos ambientes virtuais de aprendizagem para o desenvolvimento de experiências formativas no contexto do Ensino de Saúde; e analisar os limites e possibilidades dos seminários virtuais assíncronos para o ensino de Histologia. A coleta e análise dos dados se deu, respectivamente, por meio de Grupo Focal e Análise de Conteúdo. Constatou-se que esse tipo de estratégia favorece o protagonismo discente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Félix, V. P. P. ., & Silva, I. P. da . (2021). Experiências com o ensino híbrido a partir de seminários virtuais assíncronos: contribuições para um cenário de mudanças. Ensino Em Re-Vista, 28(Contínua), e049. https://doi.org/10.14393/ER-v28a2021-49
Seção
DOSSIÊ - MUDANÇAS NO SISTEMA EDUCIONAL: DO QUE SENTIMOS FALTA?

Referências

ALMEIDA, Maria Elizabeth B. de; SILVA, Maria da Graça Moreira da. CURRÍCULO, TECNOLOGIA E CULTURA DIGITAL: ESPAÇOS E TEMPOS DE WEB CURRÍCULO. Revista e-curriculum, São Paulo, v.7 n.1 Abril/2011. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/viewFile/5676/4002. Acesso: 12 jan. 2020.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini. Integração de Tecnologias na Educação Pública do Brasil e de Portugal. I Encontro Internacional TIC e Educação – ticEDUCA2010. Portugal: Universidade de Lisboa, 2010b.

ALMEIDA, Elizabeth Bianconcini de; ASSIS, Maria Paulina de. Integração da web 2.0 ao currículo: a geração web currículo. Organización de los Estados Americanos: Revista digital la educ@cion, 2011. Disponível em: https://paulassis.files.wordpress.com/2011/04/integrac3a7c3a3o-da-web-2-0-ao-currc3adculo-a-gerac3a7c3a3o-web-currc3adculo.pdf. Acesso: 12 jan. 2020.

AMEM, Bernadete Malmegrim Vanzella; NUNES, Lena Cardoso. Tecnologias de informação e comunicação: contribuições para o processo interdisciplinar no ensino superior. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 30, n. 3, p. 171-180, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v30n3/07.pdf. Acesso: 10 mar. 2018.

ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos; ALVES, Leonir Pessate. (Orgs). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho docente em aula. 6. ed. Joinville: Univille, 2006.

BACICH, Lilian; MORAN, José (ORGS.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BARBOSA, Renata Cristina. Avaliação, tecnologia e ensino híbrido. Revista Linha Direta, 2016. Disponível em: https://www.portalinhadireta.com.br/publico/images/pilares/616f72c1eb9f3e7c3d5e16705bfc5f1f.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRANSKI, Regina Meyer et al. METODOLOGIA DE ESTUDO DE CASOS APLICADA À LOGÍSTICA. XXIV ANPET Congresso de Pesquisa e Ensino em Transporte. Brasil, Salvador, janeiro de 2010. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/277598822_METODOLOGIA_DE_ESTUDO_DE_CASOS_APLICADA_A_LOGISTICA. Acesso em: 05 set. 2020.

CECCIM, Ricardo Burg; FEUERWERKER, Laura Macruz. Mudança na graduação das profissões de saúde sob o eixo da integralidade. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 5, p. 1400-1410, set-out. 2004.

CHRISTENSEN, Clayton; HORN, Michael e STAKER, Heather. Ensino Híbrido: uma Inovação Disruptiva? Uma introdução à teoria dos híbridos. Maio de 2013. Disponível em: https://www.pucpr.br/wp-content/uploads/2017/10/ensino-hibrido_uma-inovacao-disruptiva.pdf. Acesso: 03 ago 2019.

EISENHARDT, K.M. (1989) Building theories form case study research. Academy of Management Review. New York, New York, v. 14 n. 4.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 50. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000. 165p.

FÉLIX, Viviane Patrícia Pereira. Seminários virtuais assíncrono de histologia: análise de uma pesquisa-formação em um curso superior de enfermagem de Alagoas. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Alagoas. Centro de Educação. Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática. Maceió, 2020.

GATTI, Bernardete Angelina. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Liber Livro Editora, 2012.

HORN, Michael; STAKER, Heather; CHRISTENSEN, Clayton. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Penso Editora, 2016.

LARA, Rafael; QUARTIERO, Elisa Cunha. Educação para uma geração pós-internet: olhares a partir da formação inicial de professores. In: SANCHES, Jayme. Congreso Iberoamericano de Informática Educativa. Santiago, Chile, 2010.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3º ed. São Paulo: Editora 34, 2010.

MARTINS, Alexandra da Costa Souza; ALVES, Lucicleide Araújo de Sousa Alves. O fórum de discussão como instrumento avaliativo de aprendizagem. Informática na educação: Teoria & Prática. Porto Alegre, v. 19, n. 2, jun./set. 2016.

MORAN, José. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Vol. II. Carlos Alberto de Souza e Ofelia Elisa Torres Morales (Orgs.). PG: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf. Acesso em: 15 mar. 2019.

OLIVEIRA, Jéssica Maria; MACIEL, Marília de Holanda; SILVA, Rutt Keles Alexandre da. Metodologias Ativas: Caminhos Facilitadores da Aprendizagem Para Contribuir No Alcance Do Ods 4. Anais do 16º Congresso Internacional de Tecnologia na Educação. Brasil, Recife, setembro de 2018.

RODRIGUES, E. F. A questão da verificação de aprendizagem no modelo de ensino híbrido. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

SILVA, Roger Magalhães da et al. Situações-limite na formação de professores de ciências na perspectiva freireana: da percepção da realidade à dimensão pedagógica. Investigações em Ensino de Ciências – V21(3), pp. 127-151, 2016. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/671/447. Acesso em: 02 Set 2019.

SILVA, Marco. Criar e professorar um curso online: relato de experiência. In: SILVA, Marco (Org.). Educação online. São Paulo: LOYOLA, 2ª ed.: jun./2006, p. 53-75.

SILVA, Marco. Educar na cibercultura: desafios à formação de professores para docência em cursos online. Revista Digital de Tecnologias Cognitivas. São Paulo, n. 3, p. 36-51, jan./jun., 2010.

SPINARDI, Janine Donato e BOTH, José Ivo. Blended Learning: O Ensino Híbrido e a Avaliação da Aprendizagem no Ensino Superior. Rio de Janeiro: B. Téc. Senac, v. 44, n. 1, jan./abr. 2018. Disponível em: https://www.bts.senac.br/bts/article/view/648. Acesso: 05 Jan 2019.

VALENTE, José Armando; ALMEIDA, Fernando José. Visão analítica da informática no Brasil: a questão da formação do professor. Revista Brasileira de Informática na Educação. Sociedade Brasileira de Computação, Florianópolis, n. 1, 1997. Disponível em http://www.professores.uff.br/ hjbortol/ car/library/valente.html. Acesso em: 10 mar. 2018.

VEEN, Wim; WRAKKING, Benn. Homo Zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Artmed, 2009.

YIN, R.K. (2009) Case study research, design and methods (applied social research methods). Thousand Oaks. California: Sage Publications.