Desenvolvimento Profissional Docente através de Intervenções Colaborativas em tempos de pandemia

Conteúdo do artigo principal

Laura Mendes Rodrigues Fumagalli
https://orcid.org/0000-0002-7246-4539
Renata Soares
https://orcid.org/0000-0002-2386-2020
Veronica de Carvalho Vargas
Jaqueline Copetti
Phillip Vilanova Ilha

Resumo

O estudo teve como objetivo evidenciar a experiência da pesquisa colaborativa, através da consolidação de intervenções formativas. Caracteriza-se quanto aos objetivos como exploratória, tratando-se de uma pesquisa colaborativa. Participaram do estudo 56 professores da rede municipal, de uma cidade do interior do Rio Grande do Sul. As intervenções ocorreram no ano de 2020, via aplicativo Google Meet, devido a pandemia do Covid 19. Evidenciou-se inicialmente que os professores estavam inibidos e inseguros em expor suas opiniões, no entanto aos poucos, foram se apropriando do uso do aplicativo utilizado nas formações e foram desmistificando o distanciamento que sentiam referente aos pesquisadores. As intervenções atenderam às expectativas dos pesquisadores pela interação entre o processo de conhecimento e aproximação em tempo real com objeto do estudo e, dos professores pela contextualização, diminuição de anseios, propiciando reflexões, mudanças e desenvolvimento profissional docente, incitando a enfrentarem de forma mais segura as dificuldades que surgiam com a pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Fumagalli, L. M. R., Soares, R., Vargas , V. de C., Copetti , J., & Ilha , P. V. (2022). Desenvolvimento Profissional Docente através de Intervenções Colaborativas em tempos de pandemia. Ensino Em Re-Vista, 29(Contínua), e034. https://doi.org/10.14393/ER-v29a2022-34
Seção
DOSSIÊ 1: A EXPERIÊNCIA DA PESQUISA COLABORATIVA EM REDE

Referências

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2011.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Edições 70, São Paulo, 2011.

BEZERRA, N. P. X.; VELOSO, A. P.; RIBEIRO, E. Ressignificando a prática docente: experiências em tempos de pandemia. Revista Pemo, Fortaleza, v. 3, n. 2, p. 23917, 2021. DOI: https://doi.org/10.47149/pemo.v3i2.3917.

BRASIL. MEC. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. Disponível em: https://bityli.com/qYbn1.Acesso em: 03 mai. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018.

DAMIANI, F. M. Entendendo o trabalho colaborativo em educação e revelando seus benefícios. Educar, Curitiba, n. 31, p. 213- 230, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-40602008000100013.

DESGAGNÉ, S. O conceito de pesquisa colaborativa: a ideia de uma aproximação entre pesquisadores universitários e professores práticos. Revista Educação em Questão, Natal, v. 29, n. 15, p. 7-35, maio/ago. 2007.

FIORENTINI, D.; CRECCI, V. Desenvolvimento Profissional Docente: Um termo Guarda-Chuva ou um novo sentido à formação? Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação docente, Belo Horizonte, v.5, n.8, p. 11- 23, jan./jun. 2013.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 50ª. Ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2011.

GATTI, B. A. Avaliação e qualidade do desenvolvimento profissional docente. Avaliação, Campinas, v.19, n. 2, p. 373-384, jul. 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-40772014000200006.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6 ed. Rio de Janeiro: Atlas, 2017.

GOMES, A. L. Impressões sobre o ensinar e o aprender em tempos de pandemia de COVID-19. Ensino em Re-Vista, Uberlândia, v. 28, n. 14, p. 1-20, mai. 2021. DOI: https://doi.org/10.14393/ER-v28a2021-14.

HERDEIRO, R.; SILVA, A. M. Práticas reflexivas: uma estratégia de desenvolvimento profissional dos docentes. In. IV Colóquio Luso Brasileiro, VIII Colóquio sobre Questões Curriculares: Currículo, Teorias, Métodos, set. 2008.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico Brasileiro de 2020. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3chPEYr. Acesso em: 25 de dez. 2020.

IBIAPINA, I. M. L M. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro Editora, 2008.

ILHA, V. P.; DE LIMA, S. A. P.; ROSSI, S. D; SOARES, A. F. A. Intervenções no ambiente escolar utilizando a promoção da saúde como ferramenta para melhoria do ensino. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 16, n. 3, p. 35- 53, set./dez. 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-21172014160302.

IMBERNÓN, F. Qualidade no ensino e formação do professorado: uma mudança necessária. São Paulo: Cortez, 2016.

JUNGES, F. C.; KETZER, C.; OLIVEIRA, V. M. Formação continuada de professores: Saberes ressignificados e práticas docentes transformadas. Educação & Formação, Fortaleza, v. 3, n. 3, p. 88-101, 2018. DOI: https://doi.org/10.25053/redufor.v3i9.858.

OPAS. ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE- Organização Mundial de Saúde, Histórico da pandemia de COVID-19: OPAS/OMS, 2020.

PAVIANI, N. M. S.; FONTANA, N. M. Oficinas pedagógicas: relato de uma experiência. Conjectura, Caxias do Sul, v.14, n. 2, p. 77- 88, mai./ago. 2009.

PEREIRA, J. E. D; ZEICHNER, K. M. A pesquisa na Formação e no Trabalho Docente. 2º ed., Autêntica, Minas Gerais: 2017.

PIMENTA, Selma G. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 521-539, set./dez. 2005.

PIFFERO, E. L. F.; COELHO, C. P.; SOARES, R. G.; ROEHRS, R. Um novo contexto, uma nova forma de ensinar: metodologias ativas em aulas remotas. Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Amazonas, v. 6, e142020, p.1-18, dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.31417/educitec.v6.1420.

SANTOS, F. G. Tecnologias digitais móveis na escola e na prática profissional docente. Dissertação (Mestrado em Educação e Contemporaneidade) - Universidade do Estado da Bahia. Departamento de Educação, Salvador, 164 fls. 2019.

SANTOS, J. P.; LIMA, R. V. G. Formação de professores em tempos de pandemia. Revista Projeção e Docência, Brasília, v.11, n 1, p.1- 25, 2020.