Presença, ocultação e permanência

os Guarani da Região Metropolitana de Florianópolis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT174605

Resumo

Esse ensaio resulta de pesquisa realizada entre 2018 e 2021 junto ao programa de Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental da Universidade do Estado de Santa Catarina e decorre de uma reflexão sócio-histórica, legal e geopolítica sobre a presença histórica Guarani na Região Metropolitana de Florianópolis e o impacto de legislações, políticas estatais e práticas administrativas subseqüentes sobre seus territórios e processos de territorialização. As Políticas Indigenistas surgem como práticas administrativas, tipicamente latino-americanas, emergindo de forma institucionalizada a pouco mais de cem anos para estruturar as políticas estatais dirigidas aos povos e territórios indígenas. Sofrendo, no entanto, descontextualizações, migrando e disseminando-se sob diversas formas pela América Latina, o movimento indigenista como doutrina oficial manifestou recorrentemente a intenção de Estados populistas latino-americanos em transformar suas sociedades em nações, incluindo ou diluindo o “elemento indígena” nos projetos nacionalistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-07-2022

Como Citar

ANTUNHA BARBOSA, J. M.; LADIK ANTUNES, D.; NUNES JÚNIOR, O. Presença, ocultação e permanência: os Guarani da Região Metropolitana de Florianópolis. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 17, n. 46 Ago., p. 107–130, 2022. DOI: 10.14393/RCT174605. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/65200. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos