Dilemas e desafios para instalação de sistemas agroflorestais no interior e entorno do Parque Estadual da Serra do Mar - Núcleo Picinguaba - (SP)

Autores

  • Sidnei Ramundo Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo http://orcid.org/0000-0002-2182-9593
  • Eliane Simões NEPAM-Unicamp

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT112219

Resumo

A criação de Unidades de Conservação (UCs) no Estado de São Paulo reproduziu um padrão arbitrário e antidemocrático, comum a todo o país, pois o processo de criação destas áreas foi realizado sem considerar os anseios de comunidades humanas tradicionais que habitavam a área. Estas populações tiveram seus modos de vida alterados, pois foram tolhidas de praticar seus sistemas tradicionais de manejo. Essa situação produziu conflitos ambientais e sociais, com um baixo envolvimento e reconhecimento das áreas protegidas por parte dessas comunidades tradicionais e também agravamento das condições de vida das comunidades. Esse artigo descreve os principais problemas enfrentados por uma comunidade localizada no interior e entorno do Parque Estadual da Serra do Mar, localizado no extremo norte do litoral paulista; discute alguns dos manejos praticados pela comunidade, com destaque às práticas agrícolas tradicionais e uso dos recursos, numa tentativa de instalação de sistemas agroflorestais; e aponta possibilidades e perspectivas para manter o uso tradicional agrícola destas comunidades que habitam o interior e entorno de unidades de conservação de proteção integral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sidnei Ramundo, Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo

Sidnei Raimundo é bacharel e licenciado em Geografia pela Universidade de São Paulo (USP), possui mestrado em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo, doutorado em Geografia (na área de análise ambiental e dinâmica territorial) pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - e Pós-Doutorado na Universidade de Girona, Espanha, em gerenciamento costeiro enfatizando o uso e ocupação do litoral em atividades e equipamentos de lazer e turismo. Trabalhou durante 15 anos no Instituto Florestal do Estado de São Paulo, com manejo (gerenciamento) de parques, estações ecológicas e outras áreas protegidas. Lecionou por mais de 10 anos em Instituições de Ensino Superior privadas. Desde 2006 é professor-doutor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), onde também orienta nos programas de pós-graduação stricto senso em "Mudança Social e Participação Política" e em "Turismo".

Eliane Simões, NEPAM-Unicamp

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1985), incluindo bacharelado e licenciaturas, mestrado em Educação Ambiental pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1995) e doutorado em Ambiente e Sociedade pela Universidade Estadual de Campinas (2010). Atualmente está finalizando pós doutoramento no NEPAM/UNICAMP, com pesquisa relacionada a conflitos referentes a territórios tradicionais e Unidades de Conservação em situação de sobreposição e também no ITA, com bolsa da CAPES, referente ao Projeto Redelitoral, componente: Adaptação à Mudanças Climáticas.

Downloads

Publicado

02-12-2016

Como Citar

RAMUNDO, S.; SIMÕES, E. Dilemas e desafios para instalação de sistemas agroflorestais no interior e entorno do Parque Estadual da Serra do Mar - Núcleo Picinguaba - (SP) . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 11, n. 22 Abr., 2016. DOI: 10.14393/RCT112219. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/31376. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos