AVALIAÇÃO DA DINÂMICA DA PAISAGEM E HETEROGENEIDADE DE MANCHAS FLORESTAIS NO CONTEXTO DO NEXO FLORESTA-ÁGUA-SOCIEDADE EM DUAS BACIAS HIDROGRÁFICAS EM JUNDIAÍ – SP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG249364876

Palavras-chave:

Uso e cobertura da terra, Serviços ecossistêmicos, Métricas de paisagem, Geoprocessamento

Resumo

A heterogeneidade espacial, temporal e funcional é relevante na identificação de gargalos e oportunidades para a gestão de bacias hidrográficas de abastecimento e se constitui em elemento para a apreensão das relações floresta-água-sociedade. Este estudo realizou uma análise espacial e temporal em duas bacias hidrográficas, visando identificar as mudanças ocorridas na composição e na configuração da paisagem, com foco em manchas florestais e sua funcionalidade para a produção de água. Utilizou-se geoprocessamento e aplicação das métricas AREA, ENN, PROXRIO e SHAPE para avaliar a configuração das manchas florestais nas bacias em 1985 e 2020. Constatou-se um processo importante de urbanização nas bacias, predominantemente sobre áreas agropecuárias, e que vêm ocorrendo em paralelo ao incremento líquido de cobertura florestal. Tal cobertura florestal representa 37,3% do território, estando distribuída de modo desigual na paisagem. A proximidade existente entre os fragmentos pode ser incrementada a partir da restauração das Áreas de Preservação Permanente (APPs) ocupadas por atividades agrícolas, que perfazem 34,3% das APPs hídricas. Conclui-se que deve haver uma política de desmatamento zero nas bacias, com expansão dos usos antrópicos somente sobre áreas já degradadas, associado ao incentivo à restauração de florestas em toda a paisagem, como estratégia para a gestão do território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Rosafa Gavioli, Universidade Federal de São Carlos|Companhia Ambiental do Estado de São Paulo

Eng. Agrônomo, doutorando em Planejamento e Uso de Recursos Renováveis (UFSCar, campus Sorocaba).  Engenheiro da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). 

Caio Molena, Centro Universitário Padre Anchieta

Graduando em Engenharia Ambiental e Sanitária pelo Centro Universitário Padre Anchieta - Jundiaí.

Raquel Carnivalle Silva Melillo, Centro Universitário Padre Anchieta | Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Bióloga, doutora em Ambiente e Sociedade. Professora do Centro Universitário Padre Anchieta - Jundiaí. Pós-doutoranda em Ciências Ambientais no Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), campus Sorocaba.  

Paulo Guilherme Molin, Universidade Federal de São Carlos

Gestor ambiental, doutor em Recursos Florestais. Professor no Centro de Ciências da Natureza da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), campus Lagoa do Sino, e no PPG Planejamento e Uso de Recursos Renováveis - UFSCar campus Sorocaba. 

Alexandre Marco da Silva, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Ecólogo, doutor em Engenharia Ambiental. Professor no Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), campus Sorocaba. 

Downloads

Publicado

12-06-2023

Como Citar

GAVIOLI, F. R.; MOLENA, C.; MELILLO, R. C. S.; MOLIN, P. G.; SILVA, A. M. da. AVALIAÇÃO DA DINÂMICA DA PAISAGEM E HETEROGENEIDADE DE MANCHAS FLORESTAIS NO CONTEXTO DO NEXO FLORESTA-ÁGUA-SOCIEDADE EM DUAS BACIAS HIDROGRÁFICAS EM JUNDIAÍ – SP. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 24, n. 93, p. 279–297, 2023. DOI: 10.14393/RCG249364876. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/64876. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos