ÁREAS DE CONEXÃO VERDE E CONEXÃO FUNDO DE VALE: PROPOSIÇÃO PARA REDUÇÃO DOS IMPACTOS DE ENCHENTES EM BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG249162545

Palavras-chave:

Conexão verde, Conexão fundo de vale, Drenagem pluvial urbana, Enchentes urbanas, Saneamento básico

Resumo

O saneamento básico é um conjunto de serviços públicos essenciais à saúde humana e à qualidade de vida nas cidades: limpeza urbana, destinação de resíduos sólidos e drenagem de águas pluviais. Este artigo trata do saneamento pluvial de Belo Horizonte, onde todos os anos ocorrem enchentes, gerando perdas sociais e econômicas. Com foco na solução desse problema foi realizada análise de geoprocessamento multicritério, com o objetivo de apresentar um mapa de áreas prioritárias para implementação das áreas de Conexão Verde e da Conexão Fundo de Vale - estratégias do novo Plano Diretor da cidade em busca de minimizar a ocorrências das flash floods e seus impactos negativos em Belo Horizonte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais

Graduada em Engenharia Florestal pela Universidade de Brasília, pós graduada em Licenciamento Ambiental pela Faculdades AVM Integradas, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente – PPGDRMA da Universidade do Estado de Minas Gerais. Passos, Minas Gerais. Atua desde 2014 na Secretaria de Estado de Meio ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado de Minas Gerais como gestora ambiental na análise de licenciamentos ambientais.

Cristina de Souza Domingues Raposo, Universidade do Estado de Minas Gerais

Mestranda bolsista do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Graduada em Gestão Pública pela UEMG e em Jornalismo pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH). Possui pós-graduação em Produção em Mídias Digitais pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) e em Gestão Pública pela UEMG. 

Eduardo Meireles, Universidade do Estado de Minas Gerais

Doutor e Mestre em Engenharia Urbana pela Universidade Federal de São Carlos. Trabalhou como Consultor no SEBRAE-SP (2005-2009). Foi professor de ensino superior da União das Faculdades dos Grandes Lagos (2008-2019), Assumindo a Coordenação do Curso de Engenharia Civil 2011 - 2019 e de Engenharia de Produção em 2012-2019. Professor da Universidade do Estado de Minas Gerais /UEMG desde 2018, e membro permanente do Mestrado Profissional em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente da Universidade do Estado de Minas Gerais e Coordenador e membro permanente do mestrado em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação/Rede PROFNIT UEMG. Atua nas áreas, Urbanismo, Planejamento Urbano e Regional e Engenharia Urbana e Gestão da Tecnologia e Inovação, em temas relacionados ao: desenvolvimento urbano e produção da cidade, política urbana, política habitacional e os subsistemas de habitação de interesse social e de mercado, e inovação. Realizou de 2017 à 2019 estágio pós-doutoral no Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP, com pesquisas dirigidas a Financeirização da moradia no pós crise global de 2008.

Downloads

Publicado

22-02-2023

Como Citar

SILVA, A. C.; RAPOSO, C. de S. D.; MEIRELES, E. ÁREAS DE CONEXÃO VERDE E CONEXÃO FUNDO DE VALE: PROPOSIÇÃO PARA REDUÇÃO DOS IMPACTOS DE ENCHENTES EM BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 24, n. 91, p. 305–321, 2023. DOI: 10.14393/RCG249162545. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/62545. Acesso em: 16 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos