POTENCIAL EROSIVO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JABOATÃO - PE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG249162489

Palavras-chave:

Álgebra de mapas, Geoprocessamento, Problemas ambientais, Solo

Resumo

O processo erosivo é um dos mais danosos causadores de degradação ambiental. Um diagnóstico do potencial erosivo de uma região pode auxiliar no entendimento dos mecanismos que atuam nas áreas naturais e antropizadas, tornando possível a orientação das atividades a serem desenvolvidas. Desse modo, o objetivo do presente estudo foi analisar os riscos decorrentes da suscetibilidade natural à erosão da bacia hidrográfica do rio Jaboatão-PE. Para isso, utilizou-se a metodologia de mapeamento e análise da suscetibilidade natural à perda de solo que se baseia nos conceitos de estabilidade e instabilidade ambiental. Realizou-se uma avaliação do balanço existente entre os processos de morfogênese/pedogênese por meio dos atributos da paisagem: pedologia, geologia, declividade, cobertura vegetal e intensidade pluviométrica, com a utilização de ferramentas de geoprocessamento. Por fim, realizaram-se trabalhos de campo para análise dos riscos decorrentes dos processos erosivos presentes na bacia. Foi possível verificar que em 70% da área predomina a classe de erosão medianamente estável/suscetível, e a bacia apresenta uma quantidade significativa de locais com construções em áreas propícias a movimentos gravitacionais de massa, com alto grau natural de suscetibilidade, demonstrando, assim, a necessidade de medidas conservacionistas para a diminuição dos riscos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Izabelly Victoria Alves de Oliveira, Universidade Federal de Pernambuco

Graduada em Geografia (Licenciatura) pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), no ano de 2019. É, atualmente, Mestranda em Geografia no Programa de Pós-Graduação em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (PPGEO/UFPE) com o projeto Redução da cobertura vegetal e aumento de riscos ambientais na bacia hidrográfica do rio Jaboatão - PE. Pesquisa e tem interesse em Geografia Física e Geoprocessamento, atuando principalmente nos seguintes temas: Degradação Ambiental, Degradação do solo por processos erosivos, Riscos Socioambientais, Bacias Hidrográficas e Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais.

Deivid Damião Roque de Souza, Universidade Federal de Pernambuco

Estudante de mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA) - UFPE. Professor de geografia formado pelo Instituto Federal de Pernambuco (2019). Pesquisa e tem interesse em geografia física e pedologia, onde possui experiência nos seguintes temas: Geoprocessamento Aplicado aos Estudos Ambientais; Dinâmica ambiental em bacias hidrográficas e Ensino de Geografia Física.

Manuella Vieira Barbosa Neto, Institudo Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Pernambuco

Licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco, UFPE (2009), Mestre e Doutora em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO) da UFPE (Conceito CAPES 5). É professora de Geografia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Campus Recife), onde atua lecionando Pedologia e Edafologia, Geomorfologia e Cartografia Básica no curso de Licenciatura em Geografia; ensina Geografia nos cursos técnicos integrados ao médio; e atua nos cursos de especialização em Sustentabilidade Urbana e no de Educação ambiental e Cultural. É líder do Grupo de Pesquisas Geoambientais do Nordeste Brasileiro (GGEO) do IFPE. Pesquisa e tem interesse em Geografia Física e Pedologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Conservação do solo, Degradação do solo e Avaliação de terras; Análise sistêmica em bacias hidrográficas; Geoprocessamento aplicado a análise ambiental; e Ensino de Geografia física e Pedologia.

Marcelo Ricardo Bezerra de Miranda, Institudo Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Pernambuco

Possui graduação em Licenciatura em Estudos Sociais com habilitação em Geografia realizado na FAINTVISA e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (2015). Atualmente é ativo permanente do Instituto Federal de Pernambuco - IFPE Campus Recife. Tem experiência na área de ensino com ênfase em Geografia, atuando principalmente nos seguintes seguimentos: Geomorfologia, Geologia, Geomorfologia Fluvial, Hidrogeografia e Biogeografia. Também possui especialização e aperfeiçoamento na área de Educação Ambiental e na área de Educação Especial de Surdos e Cegos. É pesquisador do Grupo de Pesquisas Geoambientais do Nordeste Brasileiro - GGEO, atuando nas seguintes linhas de pesquisa: Planejamento e Zoneamento Ambiental; Dinâmicas Ambiental em Bacias Hidrográficas; e Ensino de Geografia Física.

Downloads

Publicado

22-02-2023

Como Citar

OLIVEIRA, I. V. A. de; SOUZA, D. D. R. de; BARBOSA NETO, M. V.; MIRANDA, M. R. B. de. POTENCIAL EROSIVO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JABOATÃO - PE. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 24, n. 91, p. 287–304, 2023. DOI: 10.14393/RCG249162489. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/62489. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos