VULNERABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CHORÓ – CE

Autores

  • Patrícia Andrade de Araújo Universidade Estadual do Ceará https://orcid.org/0000-0002-8818-5454
  • Marcos José Nogueira de Souza Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG249162355

Palavras-chave:

Vulnerabilidade Ambiental, Vulnerabilidade Social, Planejamento ambiental

Resumo

Esta pesquisa busca analisar, numa perspectiva integrada, a vulnerabilidade socioambiental da bacia hidrográfica do rio Choró no estado do Ceará, Nordeste do Brasil. Através da ecodinâmica de Tricart (1977) com adaptações de Souza (2000) é possível estabelecer as condições de vulnerabilidade ambiental dos sistemas ambientais. Aplicou-se a metodologia do IPECE (2010) com adequações de Medeiros (2014) para gerar o Índice de Vulnerabilidade Social – IVS, a partir dos dados socioeconômicos dos setores censitários do IBGE referente aos requisitos: educação, renda, situação social e infraestrutura/habitação. Seguidamente, os dados sistematizados e/ou IVS, por setor, foram espacializados obtendo a vulnerabilidade social da área. A sobreposição dos dados das vulnerabilidades mencionadas resultou no mapa de vulnerabilidade socioambiental. Verificou-se que algumas áreas mais vulneráveis ambientalmente frente às intervenções antrópicas coexistem com a população mais vulnerável socioeconomicamente. As áreas urbanizadas contêm as mais altas vulnerabilidades sociais. Destarte, observa-se que a análise da vulnerabilidade socioambiental tem bastante relevância para o desenvolvimento sustentável da bacia hidrográfica. Com base nessas informações é possível propor ações estratégicas capazes de proporcionar a sustentabilidade e a melhoria da qualidade de vida da população, colaborando, portanto com o ordenamento territorial da área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

22-02-2023

Como Citar

ARAÚJO, P. A. de; SOUZA, M. J. N. de. VULNERABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CHORÓ – CE. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 24, n. 91, p. 71–85, 2023. DOI: 10.14393/RCG249162355. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/62355. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos