GEOPROCESSAMENTO APLICADO À GEOGRAFIA DA SAÚDE: ANÁLISE DOS ÓBITOS POR COVID-19 NA ÁREA URBANA DE SANTA MARIA/RS, EM 2020

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG238960418

Palavras-chave:

Pandemia, Cartografia, Vulnerabilidade, Mortes, Mortalidade

Resumo

A Cartografia e o Geoprocessamento são fundamentais para a compressão de dados espaciais, além do entendimento das distribuições de fenômenos que ocorrem no espaço. Questões epidemiológicas e de saúde, por esse viés, podem ser estudadas com muita propriedade e profundidade a partir dessas áreas do conhecimento. Dessa maneira, este trabalho tem como objetivo geral analisar a distribuição espacial dos óbitos por COVID-19, na escala intraurbana de Santa Maria, RS, no ano de 2020, por meio de ferramentas de Geoprocessamento. Observou-se que o comportamento espacial dos óbitos por COVID-19 se deu nos bairros de maior população e circulação de pessoas, além disso, a partir do mês de setembro de 2020, percebeu-se uma generalização dos óbitos por todas as regiões da cidade. Portanto, a metodologia e discussão apresentadas neste trabalho permitiram uma compreensão da dinâmica do novo Coronavírus na escala urbana de Santa Maria, RS, com informações disponibilizadas pela Vigilância Epidemiológica do município.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Rizzatti, Universidade Federal de Santa Maria

Doutorando em Geografia (Passagem Direta para o Doutorado) pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGeo) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). É Mestre e Licenciado em Geografia pela UFSM. Atualmente é Professor Substituto da Universidade Federal do Pampa - Campus São Gabriel, ministrando as seguintes disciplinas: Cartografia, Fotogrametria, Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento.

Natália Lampert Batista, Universidade Federal de Santa Maria

Graduada em Geografia (Licenciatura Plena) pelo Centro Universitário Franciscano (2013). Mestra, Doutora e Pós-doutora em Geografia pelo Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGGeo) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, 2015, 2019 e 2020). Atualmente é Professora Adjunta de Geografia no Departamento de Geociências da UFSM. 

Pedro Leonardo Cezar Spode, Universidade Federal de Santa Maria

Graduação em Geografia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atua no campo da Geografia Humana, nos seguintes temas: desigualdades socioespaciais, pobreza urbana, privação social, planejamento territorial, verticalização urbana, entre outros. Possui mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO - UFSM). Atualmente é Doutorando no PPGGEO - UFSM.

Rivaldo Mauro de Faria, Universidade Federal de Uberlândia

Possui Graduação em Geografia (FFCL-OF, 1998); Especialização em Estudos Ambientais (PUC-MINAS, 2005); Mestrado em Geografia (IG/Unicamp, 2008); Doutorado em Geografia (IG/Unicamp, 2012) e Pós-Doutorado em Geografia (Universidade de Coimbra, PT, 2013). Atualmente é Professor do Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), colaborador no curso de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Maria e coordenador do Núcleo de Pesquisa em Geografia da Saúde (NePeGS).

Downloads

Publicado

10-10-2022

Como Citar

RIZZATTI, M.; BATISTA, N. L.; SPODE, P. L. C.; FARIA, R. M. de. GEOPROCESSAMENTO APLICADO À GEOGRAFIA DA SAÚDE: ANÁLISE DOS ÓBITOS POR COVID-19 NA ÁREA URBANA DE SANTA MARIA/RS, EM 2020. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 23, n. 89, p. 241–259, 2022. DOI: 10.14393/RCG238960418. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/60418. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos