A PAISAGEM E USO DA BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA NO VALE DO ITAJAÍ-AÇU (SANTA CATARINA) NO SÉCULO XIX

Autores

  • Gilberto Friedenreich dos Santos Universidade Regional de Blumenau https://orcid.org/0000-0001-6021-8966
  • Martin Stabel Garrote Universidade Regional de Blumenau

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG238859437

Palavras-chave:

Paisagem, Biodiversidade, Mata Atlântica, Vale do Itajaí-açu, Século XIX

Resumo

O século XIX marca a efetiva colonização do interior do Vale do Itajaí. O objetivo é abordar as diversas atividades de extrativismo (caça; pesca; vegetal e madeireiro) da Mata Atlântica, e o uso dessa biodiversidade no século XIX. Outra abordagem a ser considerada é descrever a paisagem natural, período histórico que os documentos históricos ainda retratam uma região com a presença de extensas florestas inexploradas. A metodologia consiste na consulta de fontes primárias do século XIX e início do século XX, e de fontes secundárias. As fontes primárias relatam a beleza da Mata Atlântica e a erosão das margens do rio Itajaí-açu (baixo vale) mesmo com a presença da cobertura florestal. O extrativismo madeireiro foi importante para a exportação. A biodiversidade também foi primordial para a subsistência, como a caça e os diversos elementos da floresta. A riqueza na variedade da flora representa uma diversidade nas propriedades das espécies, como dureza, resistência, facilidade de manuseio da madeira, e a composição química que condicionaram o uso para diversos fins. No século XIX encontraram abundância na biodiversidade, mas a sua sucessiva exploração conduziu à ameaça de extinção de espécies da fauna e flora, que motivaram a criação de unidades de conservação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilberto Friedenreich dos Santos, Universidade Regional de Blumenau

Professor da Universidade Regional de Blumenau. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Departamento de História e Geografia. 

Graduação em Geografia (UFSC)

Mestrado em Geografia (UFSC)

Doutorado em Ciências (Geografia Física, USP).

Martin Stabel Garrote, Universidade Regional de Blumenau

Doutor e mestre em Desenvolvimento Regional pela Universidade Regional de Blumenau.

Downloads

Publicado

04-08-2022

Como Citar

dos Santos, G. F., & Garrote, M. S. (2022). A PAISAGEM E USO DA BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA NO VALE DO ITAJAÍ-AÇU (SANTA CATARINA) NO SÉCULO XIX . Caminhos De Geografia, 23(88), 173–188. https://doi.org/10.14393/RCG238859437

Edição

Seção

Artigos