PRODUÇÃO DE CENÁRIOS DE RISCOS AMBIENTAIS: O CASO DA PLANÍCIE COSTEIRA DE ARACAJU/SERGIPE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG238759193

Palavras-chave:

Perigo, Vulnerabilidade, Derivações antropogênicas, Planejamento ambiental, Geoecologia

Resumo

O artigo tem por objetivo a avaliação da produção de cenários de riscos ambientais nos espaços costeiros, com enfoque para a cidade de Aracaju/SE – Brasil. Fundamentado na relação entre perigo e vulnerabilidade, foi conjecturado, sob o prisma da Geoecologia, a correlação entre a estruturação natural da paisagem, derivações antropogênicas e surgimento dos cenários de risco. O estudo foi alicerçado na análise de imagens de satélite, sobrevoos com drone, avaliação da suscetibilidade das unidades e a análise do processo de ocupação e agentes indutores. Os resultados obtidos indicaram que não obstante os distintos níveis de derivação antrópica da paisagem, ocorreram grandes transformações na estruturação natural, que associada à ausência de infraestruturas urbanas adequadas resultaram no aumento da vulnerabilidade da população residente. Somado a isso, a análise das unidades de paisagem e mensuração da suscetibilidade revelaram elevados graus tanto para os alagamentos quanto para a erosão costeira. Conclui-se, por suposto, que o espaço costeiro aracajuano apresenta características biofísicas que são determinantes nas manifestações dos perigos ora avaliados. Tal fator associado à ruptura da estruturação natural decorrente das intervenções antropogênicas tem produzido sistematicamente as situações de risco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Santos Oliveira Mota, Universidade Federal de Sergipe

Possui Licenciatura e Bacharelado em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe (2010, 2016), Mestrado em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFS (2012) e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe (2017). Atualmente é Professora Substituta da Universidade Federal de Sergipe e Professora da Secretaria da Educação do Estado de Sergipe. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Análise Ambiental de Zonas Costeiras e Geoprocessamento, atuando principalmente nos seguintes temas: Diagnósticos Ambiental de Zonas Costeiras, Dinâmica Fluviomarinha, Linha de Costa, Planejamento Urbano e Ambiental, Geoprocessamento e Ensino de Geografia

Rosemeri Melo Souza, Universidade Federal de Sergipe

Pesquisadora do CNPq e Professora Titular do Departamento de Engenharia Ambiental da UFS. Pós-Doutora em Geografia Física (Biogeografia/Planejamento Ambiental) pelo CERES/UFRN (2019) e em Geografia Física (Biogeography) pela ESES/The University of Queensland, Austrália (2010). Doutora em Desenvolvimento Sustentável/Gestão Ambiental (UnB) com estágio doutoral Grupo SLIF da Universidade de Lisboa, Portugal (2000). Publicou, até o presente, mais de 160 artigos em periódicos especializados, 12 livros e 85 capítulos de livros. Membro do Conselho e/ou Revisora de numerosos periódicos científicos internacionais e nacionais. Até o momento, concluiu as orientações de 34 alunos de Iniciação Científica, 14 orientações de extensão e de cooperação internacional, 17 TCC, 08 Monografias de Pós-Graduação Lato Sensu, 32 Dissertações de Mestrado, 22 Teses de Doutorado e 07 Supervisões de Pós-Docs vinculadas a cursos de Graduação, Especialização e aos Programas de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO) e em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA/UFS). Líder do Grupo de Pesquisas em Geoecologia e Planejamento Territorial (GEOPLAN/CNPq/UFS) e integrante do GEPOGEO (Grupo de Estudo e Pesquisa em Geografia Política e Geopolítica/CNPq/UCSAL). Integra a Rede de Monitoramento de Hábitats Bentônicos (ReBentos/GT MM) vinculada à Rede Clima/MCT e a Rede de Meio Ambiente da América Latina (REIMA). Atua em Geografia Física, com ênfase em Biogeografia e Ciências Ambientais, nos temas: Biomonitoramento/Fitoindicação, Mudanças Ambientais, Avaliação do Meio Biofísico, Drylands, Mangrove; Conflitos/Riscos Ambientais.

Downloads

Publicado

01-06-2022

Como Citar

MOTA, L. S. O.; SOUZA, R. M. PRODUÇÃO DE CENÁRIOS DE RISCOS AMBIENTAIS: O CASO DA PLANÍCIE COSTEIRA DE ARACAJU/SERGIPE. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 23, n. 87, p. 206–223, 2022. DOI: 10.14393/RCG238759193. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/59193. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos