A CRISE AMBIENTAL GLOBAL: CONJUNTURA E INTERPRETAÇÕES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228456976

Palavras-chave:

Debate teórico-conceitual, Nelmalthusianismo, Cornucopianismo, Marxismo, Ecodesenvolvimentismo

Resumo

Fenômenos naturais e/ou induzidos pela ação econômica, amplamente reconhecidos e estudados por diversas áreas do conhecimento científico, colocam em risco a segurança e a vida das diferentes formas de vida do planeta Terra. Dentre os principais conjuntos de problemas ambientais reconhecidos, que preocupam a comunidade científica e a maioria dos gestores, destacam-se aqueles relacionados à urbanização acelerada e omissa em relação às variáveis ambientais, aos distúrbios diretamente atinentes ao funcionamento dos ecossistemas (desmatamento e defaunação), às alterações nos aspectos quali-quantitativos da água, às perturbações físicas e químicas aos oceanos e ao aquecimento global e mudanças climáticas. A politização e ideologização, bem como o debate teórico-conceitual em torno da crise ambiental instalada, implicam em perspectivas comportamentais peculiares, métodos e metodologias específicos para entender e agir. Isso impulsiona debates públicos, porém pode ocasionar estagnação de ações gerenciais. O presente texto discute a conjuntura atual da crise ambiental e apresenta as concepções de quatro grupos que a interpretam de formas muito distintas: os nelmalthusianos, os cornucopianistas, os marxistas e os ecodesenvolvimentistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanderlei de Oliveira Ferreira, Universidade Federal de Uberlândia

É geógrafo (1993), mestre (1996) e doutor (2007) em Geografia/Análise Ambiental pela Universidade Federal de Minas Gerais (IGC/UFMG). Desde 2008 é docente da Universidade Federal de Uberlândia (IG/UFU). Dedica-se ao ensino, pesquisa e extensão em temas e problemas especialmente vinculados à Hidrologia e Climatologia, com destaque para estudos que tratam dos impactos das mudanças climáticas e do uso das terras sobre a dinâmica de bacias hidrográficas, recorrendo-se a modelos de análise tendencial e instrumentos geocartográficos. É docente permanente do Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia.

Rafael Mendes Rosa, Universidade Federal de Uberlândia

Possui graduação em Geografia (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), especialização em Gestão Ambiental pela Faculdade Católica de Uberlândia (FCU) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atualmente é doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Planejamento e Gestão Ambiental, Geografia Física e Geoprocessamento.

Downloads

Publicado

15-12-2021

Como Citar

Ferreira, V. de O., & Rosa, R. M. (2021). A CRISE AMBIENTAL GLOBAL: CONJUNTURA E INTERPRETAÇÕES. Caminhos De Geografia, 22(84), 187–199. https://doi.org/10.14393/RCG228456976

Edição

Seção

Artigos