MOBILIDADE PENDULAR E MIGRAÇÃO NA METRÓPOLE: PROPOSTA METODOLÓGICA APLICADA À REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

Autores

  • Gabriela Lima Diniz Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais https://orcid.org/0000-0002-6440-5619
  • Ana Márcia Moreira Alvim Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228456895

Palavras-chave:

Movimentos pendulares, Movimentos migratórios, Região metropolitana de Belo Horizonte

Resumo

O objetivo deste artigo consiste em propor uma metodologia para análise conjunta dos movimentos pendulares e migratórios, proposta que será aplicada para a compreensão destes fenômenos na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). As informações necessárias foram obtidas na base de dados da Amostra do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010. A produção de mapas valeu-se das bases cartográficas reunidas na biblioteca do Plano Metropolitano da RMBH. Em análise preliminar observou-se: que na RMBH 34,56% dos migrantes de última etapa faziam movimentos pendulares por motivo de trabalho e destes 65,6% tinham como destino preferencial o local de residência anterior; e que enquanto os movimentos pendulares tendem a ocorrer em um fluxo periferia-centro-periferia, os migratórios no âmbito metropolitano tendem ocorrer em um fluxo centro-periferia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-12-2021

Como Citar

DINIZ, G. L. .; ALVIM, A. M. M. MOBILIDADE PENDULAR E MIGRAÇÃO NA METRÓPOLE: PROPOSTA METODOLÓGICA APLICADA À REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 22, n. 84, p. 154–168, 2021. DOI: 10.14393/RCG228456895. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/56895. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos