UMA ANÁLISE DAS CONSEQUÊNCIAS DA IMPLANTAÇÃO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA NA EVOLUÇÃO URBANA DE MONTE CARMELO POR MEIO DE IMAGENS MULTIESPECTRAIS DE BAIXO CUSTO

Autores

  • Alexandre Fleury de Siqueira e Gomes Universidade Federal de Uberlândia
  • George Deroco Martins Universidade Federal de Uberlândia
  • João Vitor Meza Bravo Universidade Federal de Uberlândia http://orcid.org/0000-0002-5457-3192

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228255698

Palavras-chave:

Cidade pequena, Adensamento urbano, Expansão de Fronteira, Geoinformação, Universidades

Resumo

Este estudo analisa a evolução urbana de Monte Carmelo (MG), enquanto uma cidade de pequeno porte. A hipótese levantada neste artigo vincula a evolução da paisagem urbana carmelitana à instalação do campus da Universidade Federal de Uberlândia na cidade. O campus serviria como vetor de atração à expansão urbana e, ao mesmo tempo, agente catalisador de processos urbanos em toda a cidade. Selecionou-se Monte Carmelo como estudo de caso, pois essa é uma cidade pequena que sofre com a falta de dados espaciais: situação que impacta negativamente a construção de políticas efetivas de gestão territorial. Para cumprir com o objetivo, nesta pesquisa utilizou-se de imagens orbitais de baixo custo para estudar a dinâmica de evolução urbana carmelitana. Com essa proposta concretizada construiu-se um modelo alternativo para observação de uma cidade pequena, com tecnologia acessível aos gestores, preenchendo a lacuna de acessibilidade tecnológica. Por meio do processamento digital de imagens e de uma análise visual, foi possível quantificar e qualificar a evolução urbana local, entre os anos de 2013 e 2018. Concluiu-se que o adensamento urbano de Monte Carmelo pode ser explicado pela chegada da Universidade Federal de Uberlândia à cidade, especialmente com o início das atividades de ensino em 2011.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Vitor Meza Bravo, Universidade Federal de Uberlândia

É Professor do Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Possui graduação em Geografia (Bacharelado) pela Universidade Estadual de Maringá (2011), graduação em Geografia (Licenciatura) pela Universidade Estadual de Maringá (2011), Mestrado em Ciências Geodésicas pela Universidade Federal do Paraná (2014) e Doutorado em Ciências Geodésicas pela Universidade Federal do Paraná (2017). É líder do grupo de pesquisa em Geoinformação, Território e Cadastro - GISTeC (UFU) e membro dos grupos de pesquisa Cartografia e Sistemas de Informações Geográficas (UFPR) e Grupo de estudos Aplicado à Visualização Cartográfica e História da cartografia - GAVICH (UEM). É Editor-Chefe da Revista Brasileira de Cartografia (RBC). Atua como pesquisador nas áreas de Cartografia & Sistemas de Informações Geográficas e meio ambiente. Tem experiência nas áreas de Geociências e participa de projetos de pesquisa nos seguintes temas: Cartografia e Sistemas de Informações Geográficas, Cognição Espacial, Visualização Cartográfica, VGI (Volunteered Geographic Information) e Mapeamento Colaborativo.

Downloads

Publicado

02-08-2021

Como Citar

Gomes, A. F. de S. e ., Martins, G. D., & Bravo, J. V. M. (2021). UMA ANÁLISE DAS CONSEQUÊNCIAS DA IMPLANTAÇÃO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA NA EVOLUÇÃO URBANA DE MONTE CARMELO POR MEIO DE IMAGENS MULTIESPECTRAIS DE BAIXO CUSTO. Caminhos De Geografia, 22(82), 28–40. https://doi.org/10.14393/RCG228255698

Edição

Seção

Artigos