MACROFAUNA DO SOLO NO PARQUE MUNICIPAL DE MACEIÓ, ALAGOAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228155261

Palavras-chave:

Mata Atlântica, Organismos Edáficos, Qualidade do Solo, Índices Ecológicos

Resumo

Objetivou-se avaliar a macrofauna do solo em Unidade de Conservação, em Maceió, Alagoas, nos ambientes conservado, transição e alterado, de ago/2018 a jun/2019. Utilizou-se armadilhas Provid que permaneceram no campo por 96 horas. Os organismos (>2mm de comprimento) foram identificados a nível de ordem. Foi quantificada a abundância e aplicados os índices ecológicos de Shannon (H) e Pielou (e). Quantificou-se o conteúdo de água do solo (CAS), e temperatura do solo (TS) na profundidade 0,10 m, e precipitação pluvial (PP). Os dados foram submetidos à análise de variância, tendo suas médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. O ambiente conservado apresenta maior riqueza e abundância, em razão da variedade de alimento e abrigo na serapilheira, aliado aos fatores abióticos CAS e TS; Hymenoptera, adaptado às condições antrópicas, é dominante nos ambientes, comprovado pelos baixos valores dos índices (H) e (e); Na área conservada Hymenoptera não foi discrepante em relação aos demais grupos, refletindo o equilíbrio da área. A variável TS influenciou a abundância, o CAS apresentou influência na riqueza e a PP influenciou ambas as variáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Wilian Santos de Lima, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Discente do Curso de Geografia (Licenciatura), Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal de Alagoas.

Carlos Augusto Rocha da Silva, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Discente do Curso de Geografia (Bacharelado), Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal de Alagoas

Delane dos Santos Dias, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Discente do Programa de Pós Graduação em Geografia, Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal de Alagoas.

Élida Monique da Costa Santos, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos – Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de Alagoas.

Danúbia Lins Gomes, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos – Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de Alagoas.

Kallianna Dantas Araujo, Universidade Federal de Alagoas/Instituto Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente

Graduação em Geografia (Bacharelado) (2003) e (Licenciatura) (2004) pela UFPB, Campus I, João Pessoa. Mestrado em Manejo de Solo e Água (2005) pela UFPB, Campus II, Areia. Doutorado em Recursos Naturais (2010), pela UFCG, Campus I, Campina Grande. Bolsista DTI - INSA/MCT (2010), Campina Grande. Professora Adjunto, Nível I, UFAL/IGDEMA (2011).

Downloads

Publicado

01-06-2021

Como Citar

DE LIMA, R. W. S. .; DA SILVA, C. A. R. .; DIAS, D. dos S. .; SANTOS, Élida M. da C. .; GOMES, D. L.; ARAUJO, K. D. MACROFAUNA DO SOLO NO PARQUE MUNICIPAL DE MACEIÓ, ALAGOAS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 22, n. 81, p. 292–307, 2021. DOI: 10.14393/RCG228155261. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/55261. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos