IDENTIFICAÇÃO DAS REGIÕES PLUVIOMÉTRICAS HOMOGÊNEAS E INÍCIO E FIM DA ESTAÇÃO CHUVOSA NA BACIA DO MÉDIO SÃO FRANCISCO (BRASIL)

Autores

  • Laurizio Emanuel Ribeiro Alves Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE https://orcid.org/0000-0002-0215-1131
  • Heliofábio Barros Gomes Universidade Federal de Alagoas - UFAL
  • Washington Luiz Félix Correia Filho Universidade Federal de Alagoas - UFAL
  • José Francisco de Oliveira Júnior Universidade Federal de Alagoas - UFAL
  • Luis Gustavo Gonçalves de Gonçalves Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE
  • Dirceu Luis Herdies Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE
  • Fabrício Daniel dos Santos Silva Universidade Federal de Alagoas - UFAL

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228055013

Palavras-chave:

Bacia Hidrográfica, Chuva., Análise de Cluster.

Resumo

A escassez hídrica resultante da má distribuição espaço-temporal das chuvas gera grandes dificuldades no abastecimento de água para a população da maior parte do semiárido nordestino e regiões adjacentes. Desta maneira, torna-se imprescindível o conhecimento sobre o regime pluviométrico de uma Bacia Hidrográfica como maneira de monitorar ocorrências de seca, neste caso, da Bacia do Médio São Francisco (BMSF), Brasil. Neste trabalho utilizaram-se dados diários de chuvas de 22 estações meteorológicas convencionais do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), localizadas na BMSF e áreas adjacentes, do período de 2001 a 2017. Para a identificação dos padrões de chuva, utilizou-se a análise de Cluster via método de Ward para a obtenção de grupos homogêneos. Em seguida, foi estudada a sazonalidade da bacia, bem como o início (IEC) e fim (FEC) da estação chuvosa via método de Liebmann. O regime de chuvas ao longo da BMSF foi subdividido em três grupos homogêneos (G1, G2 e G3). Além disso, esses grupos apresentaram padrão sazonal de chuva similar, um seco entre os meses de maio e setembro e outro chuvoso entre os meses de outubro a abril. O IEC e FEC se iniciam em meados de outubro e em março, respectivamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laurizio Emanuel Ribeiro Alves, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE

Atualmente, aluno de doutorado do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Possui graduação em Meteorologia pela Universidade Federal de Alagoas (2017) e mestrado em Meteorologia pela Universidade Federal de Alagoas (2019). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Meteorologia, atuando principalmente nos seguintes temas: sensoriamento remoto, parâmetros biofísicos, índices de vegetação e de seca, balanço de radiação, precipitação e climatologia.

Heliofábio Barros Gomes, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Instituto de Ciências Atmosféricas.

Washington Luiz Félix Correia Filho, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Instituto de Ciências Atmosféricas.

José Francisco de Oliveira Júnior, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Instituto de Ciências Atmosféricas.

Luis Gustavo Gonçalves de Gonçalves, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE

Docente Permanente. 

Dirceu Luis Herdies, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE

Docente Permanente.

Fabrício Daniel dos Santos Silva, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Professor do curso de Meteorologia do ICAT/UFAL.

Downloads

Publicado

05-04-2021

Como Citar

ALVES, L. E. R.; GOMES, H. B. .; CORREIA FILHO, W. L. F. .; OLIVEIRA JÚNIOR, J. F. de .; GONÇALVES, L. G. G. de .; HERDIES, D. L. .; SILVA, F. D. dos S. . IDENTIFICAÇÃO DAS REGIÕES PLUVIOMÉTRICAS HOMOGÊNEAS E INÍCIO E FIM DA ESTAÇÃO CHUVOSA NA BACIA DO MÉDIO SÃO FRANCISCO (BRASIL). Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 22, n. 80, p. 267–281, 2021. DOI: 10.14393/RCG228055013. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/55013. Acesso em: 5 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos