VULNERABILIDADE SOCIOECONÔMICA DA CIDADE DE FORTALEZA AO COVID-19: O EPICENTRO DA PANDEMIA NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL

Autores

  • Samuel Façanha Câmara Universidade Estadual do Ceará https://orcid.org/0000-0002-7043-6913
  • Hermano José Batista de Carvalho Universidade Estadual do Ceará
  • Felipe Gerhard Universidade Estadual do Ceará https://orcid.org/0000-0002-1117-5960
  • Felipe Roberto Universidade Estadual do Ceará
  • Thiago Matheus de Paula Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228054714

Palavras-chave:

Vulnerabilidade socioeconômica, Surto pandêmico, Coronavírus, Bairros, Zonas Especiais de Interesse Social

Resumo

Esta pesquisa objetivou identificar a vulnerabilidade associada à saúde e às dimensões social e econômica dos moradores dos bairros de Fortaleza quanto à pandemia Covid-19. Em seus aspectos metodológicos, o estudo exploratório-descritivo de natureza quantitativa mensurou a vulnerabilidade dos bairros da cidade de Fortaleza em três etapas: i. Vulnerabilidade Ampla – constituída por vínculos empregatícios, renda anual e pobreza extrema presente em cada bairro; ii. Vulnerabilidade Territorial – formada por aspectos relacionados às esferas econômica e sociodemográfica; iii. Vulnerabilidade das condições de Saúde – constituída, além das vulnerabilidades anteriores, por fatores como oferta de serviços de saúde. Os resultados do mapeamento ressaltaram a divisão econômica e social presente em Fortaleza. Enquanto os bairros mais ricos se destacam na análise por apresentarem uma alta vulnerabilidade econômica, ligada à produção, os mais pobres se destacam pela alta vulnerabilidade social. Essa discrepância suscita a possibilidade de existência de duas crises pandêmicas distintas exigindo a formulação de estratégias completamente diferentes para impedir os seus avanços. Destaca-se, ademais, uma preocupação adicional relacionada ao combate da Covid-19 nas Zonas Especiais de Interesse Social, contextos sociais marcados pela pobreza e precariedade da estrutura pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Façanha Câmara, Universidade Estadual do Ceará

Graduado em Agronomia pela Universidade Federal da Bahia (1989), Mestre em Economia Rural pela Universidade Federal do Ceará (1993) e Doutor em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (2002), Pós Doutorado em Gestão da Inovação na FGV-EBAPE (2013). Foi Pró-Reitor da Universidade Estadual Vale do Acaraú-UVA; Foi diretor de articulação institucional do Instituto de Tecnologia da Informação - ITIC (2005 a 2008), Coordenador e Vice-Coordenador do Mestrado e depois Programa de Pós Graduação e Administração da UECE, Coordenador do Projeto RedeNit-CE (Rede de Inovação composta pelos NITs do Ceará), Coordenador do Núcleo de Pesquisa em Gestão da Tecnologia, Inovação e Conhecimento (GESTIC) e Professor Adjunto da Universidade Estadual do Ceará. Tem experiência de pesquisa nas áreas de Administração, com ênfase em Gestão da Tecnologia e Inovação, atuando principalmente nos seguintes temas: administração financeira, análise econômica, risco, Métodos Quantitativos,simulação, gestão de cidades e Blue Economy.

Hermano José Batista de Carvalho, Universidade Estadual do Ceará

É Pós-Doutor pelo Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra (Portugal). É Doutor em Planificação Territorial e Desenvolvimento Regional, pela Universidade de Barcelona. Possui Mestrado em Administração pela Faculdade de Economia Administração e Contabilidade, da USP (1987) e é graduado em Administração pela UNIFOR - Universidade de Fortaleza (1981). Foi técnico e gestor no Banco do Nordeste do Brasil S.A. (1968-98) e Diretor Executivo da Associação Caatinga (1999-2001). Foi Vice-Diretor e Diretor do Centro de Estudos Sociais Aplicados (CESA), da Universidade Estadual do Ceará - UECE (2008-2012). Atualmente é Diretor do Instituto Desenvolvimento Estratégia e Conhecimento (IDESCO), Professor dos Cursos de Graduação, do Mestrado e Doutorado de Administraçãoda UECE. É Coordenador dos Laboratórios de Administração Pública e de Gestão Inteligente de Cidades, da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Felipe Gerhard, Universidade Estadual do Ceará

Possui graduação em Administração pela Universidade Estadual do Ceará (2011), mestrado em Administração pela Universidade Estadual do Ceará (2015) e Doutorado em Administração pela Universidade Estadual do Ceará (2019), com período sanduíche em Université du Quebec à Montréal (Orientador: Raoul Graf) e co-tutela em Fundação Getúlio Vargas - Escola de Administração de Empresas de São Paulo (Orientador: Eliane Pereira Zamith Brito). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração de Empresas, atuando principalmente nos seguintes temas: Marketing, Comportamento do Consumidor e Métodos Qualitativos.

Felipe Roberto, Universidade Estadual do Ceará

Mestrando na Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

Thiago Matheus de Paula, Universidade Estadual do Ceará

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará (2018). Atualmente é bolsista do Mestrado Acadêmico em Administração da Universidade Estadual do Ceará (UECE) pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), com ênfase na linha de pesquisa Gestão e Estudos Organizacionais.

Downloads

Publicado

05-04-2021

Como Citar

FAÇANHA CÂMARA, S. .; BATISTA DE CARVALHO, H. J. .; GERHARD, F.; ROBERTO, F.; DE PAULA, T. M. VULNERABILIDADE SOCIOECONÔMICA DA CIDADE DE FORTALEZA AO COVID-19: O EPICENTRO DA PANDEMIA NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 22, n. 80, p. 133–152, 2021. DOI: 10.14393/RCG228054714. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/54714. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos