ÁREAS ÚMIDAS BRASILEIRAS: BASES PARA O GERENCIAMENTO, SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS E ESTRATÉGIAS DE MANEJO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG227953473

Palavras-chave:

Ecossistemas aquáticos, Ecologia Aplicada, Estratégias

Resumo

O presente estudo buscou discutir o arcabouço legal relacionado com o gerenciamento de áreas úmidas no contexto brasileiro, apresentando os principais serviços ecossistêmicos prestados por esses sistemas aquáticos e a sua importância para a sociedade, além de apresentar estratégias de manejo pautadas na Ecologia Aplicada, visando alcançar a proteção da biodiversidade frente ao cenário de mudanças climáticas. As áreas úmidas são sistemas importantes, tanto do ponto de vista ambiental e socioeconômico, responsáveis por desempenham uma série de funções ecológicas (e.g. ciclagem de nutrientes, provisão de habitat para a biota, filtragem da água) e auxiliarem na subsistência e manutenção do ser humano. Os ecossistemas de áreas úmidas brasileiros carecem de um dispositivo normativo nacional que trate sobre a sua proteção. Dentre as principais estratégias, sobressaem-se: (i) a implementação de medidas com caráter estratégico e que integrem o planejamento de curto a longo prazo; (ii) a consideração dos componentes da paisagem e provisão de serviços ecossistêmicos e (iii) o monitoramento desses sistemas mediante a adoção de medidas que propiciem a manutenção da biodiversidade.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabio Leandro da Silva, Universidade Federal de São Carlos

Bacharel em Gestão e Análise Ambiental pela Universidade Federal de São Carlos, Mestre em Ciências da Engenharia Ambiental, Doutorando em Ecologia e Recursos Naturais na Universidade Federal de São Carlos

Welber Senteio Smith, Universidade Paulista

Biólogo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Mestre em Ciências da Engenharia Ambiental, Doutor em Ciências da Engenharia Ambiental. Docente da Universidade Paulista, Laboratório de Ecologia Funcional e Estrutural.

Marcela Bianchessi Cunha-Santino, Universidade Federal de São Carlos

Bióloga pela Universidade Federal de São Carlos, Mestre em Ecologia e Recursos Naturais, Doutor em Ecologia e Recursos Naturais. Docente do Departamento de Hidrobiologia, Universidade Federal de São Carlos

Irineu Bianchini Junior, Universidade Federal de São Carlos

Biólogo pela Universidade Federal de São Carlos, Mestre em Ecologia e Recursos Naturais, Doutor em Ecologia e Recursos Naturais. Docente do Departamento de Hidrobiologia, Universidade Federal de São Carlos

Downloads

Publicado

01-02-2021

Como Citar

SILVA, F. L. da; SENTEIO SMITH, W.; CUNHA-SANTINO, M. B.; BIANCHINI JUNIOR, I. ÁREAS ÚMIDAS BRASILEIRAS: BASES PARA O GERENCIAMENTO, SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS E ESTRATÉGIAS DE MANEJO. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 22, n. 79, p. 97–111, 2021. DOI: 10.14393/RCG227953473. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/53473. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos