FAVELA TOUR: UM DELICADO EQUILÍBRIO DE FORÇAS

Autores

  • Bruna Aparecida Viola da Silva Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG217853087

Palavras-chave:

Turismo, Favela, Estado, Violência, Capital, Espaço

Resumo

No Rio de Janeiro a prática do turismo em favelas não é fenômeno recente, tem seus primeiros registros datados do início do século XX e cresceu a partir da espetacularização do espaço. Estigmatizadas pela violência e pela precariedade, estas favelas tiveram seu cotidiano amplamente explorado por ações midiáticas que, alidades à intervenção policial do Estado a partir da instalação das Unidades de Polícia Pacificadora, impulsionaram a prática do Favela Tour. Na Santa Marta, o processo de pacificação precedeu a institucionalização do turismo a partir da implementação do programa Rio Top Tour, idealizado pelo Estado com o intuito de atrair novos circuitos mercadológicos para o local, intitulado, à época, de “Favela Modelo”. Atualmente, porém, a comunidade sofre os impactos do declínio da atividade turística em decorrência do aumento da violência e dos confrontos pela disputa do seu território e da descontinuidade das políticas de melhoria idealizadas a partir da possibilidade de transformar o morro em espaço fértil para a reprodução do capital.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

04-12-2020

Como Citar

DA SILVA, B. A. V. . FAVELA TOUR: UM DELICADO EQUILÍBRIO DE FORÇAS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 21, n. 78, p. 138–156, 2020. DOI: 10.14393/RCG217853087. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/53087. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos