TAXA DE INFILTRAÇÃO DA ÁGUA E RESISTÊNCIA MECÂNICA À PENETRAÇÃO EM SOLOS SUBMETIDOS A DIFERENTES USOS NA REGIÃO DA SERRA DE SUDESTE/RS

Autores

  • Cláudia Werner Flach Universidade Federal de Pelotas
  • Edvania Aparecida Corrêa Alves
  • Mauricio Meurer Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG217348139

Palavras-chave:

Degradação dos solos, Uso da terra, Experimentação em campo

Resumo

Muitas áreas brasileiras, com grande diversidade de atributos físicos, não possuem estudos pedológicos em escalas detalhadas, o que tem dificultado a avaliação dos impactos de determinados usos da terra nas condições físicas dos solos. Assim torna-se importante desenvolver trabalhos que reforcem a necessidade de manter a qualidade do solo, visto que o manejo inadequado pode afetar as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo. Com o objetivo de avaliar alguns indicadores da qualidade física de solos submetidos a diferentes usos da terra na Serra de Sudeste (Pelotas e Canguçu/RS), foram realizados testes de infiltração e  resistência mecânica à penetração (RMP), além da caracterização de atributos morfológicos e físicos de perfis de solos. As áreas florestais e campestres apresentaram menor RMP em relação às demais. As áreas de pastagens apresentaram os menores volumes de infiltração acumulada e os maiores de RMP, sendo tal resultado reflexo provável da compactação pelo pisoteio animal. O intenso uso da terra, com poucas técnicas de manejo e conservação do solo, associado às limitações naturais dos solos e as declividades acentuadas atuam como condicionantes para a alteração das condições físicas dos solos e o desencadeamento de processos erosivos em áreas presentes na Serra de Sudeste.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

09-03-2020

Como Citar

FLACH, C. W.; CORRÊA ALVES, E. A.; MEURER , M. . TAXA DE INFILTRAÇÃO DA ÁGUA E RESISTÊNCIA MECÂNICA À PENETRAÇÃO EM SOLOS SUBMETIDOS A DIFERENTES USOS NA REGIÃO DA SERRA DE SUDESTE/RS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 21, n. 73, p. 223–242, 2020. DOI: 10.14393/RCG217348139. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/48139. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos