METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO GEOPATRIMÔNIO APLICADA AO GEOTURISMO COSTEIRO

Autores

  • Luciano Schaefer Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba
  • Daniel Matos Carvalho IFPB
  • Lúcio Sobral Cunha

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG217347509

Palavras-chave:

Avaliação quantitativa, Geoturismo costeiro, Geopatrimônio, Paraíba

Resumo

Neste trabalho, propõe-se uma nova metodologia de avaliação quantitativa do potencial geoturístico costeiro e da necessidade de proteção de dez sítios escolhidos no litoral do Estado da Paraíba, distante até 54 km da capital do Estado. O potencial geoturístico foi determinado com base em dois indicadores ponderados, dos quais foram calculados seus índices de valor: Potencial de Uso Turístico, com dez variáveis, com pesos diferenciados; Valor Adicional, com seis variáveis, também com pesos diferenciados. Posteriormente, a partir da necessidade de proteção dos sítios, uma vez que a atividade geoturística gera impactos negativos onde se desenvolve, foi calculado o Índice de Necessidade de Proteção dos sítios, a partir de dez variáveis, com pesos diferenciados. O Índice de Risco Iminente, que resume aqueles sítios onde a vulnerabilidade é maior, foi calculado a partir do Índice de Necessidade de Proteção, com peso 1, e do Índice Potencial de Uso Turístico e de Valor Adicional que, somados, apresentavam também peso 1. O resultado da simulação feita para a área foi satisfatória, podendo ser aplicada a outras áreas observado o ajustamento à realidade local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Schaefer Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Professor de Geografia do IFPB, câmpus João Pessoa, atualmente é doutorando do Departamento de Geografia da Universidade de Coimbra

Downloads

Publicado

08-03-2020

Como Citar

Pereira, L. S., Carvalho, D. M., & Cunha, L. S. (2020). METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO GEOPATRIMÔNIO APLICADA AO GEOTURISMO COSTEIRO. Caminhos De Geografia, 21(73), 148–163. https://doi.org/10.14393/RCG217347509

Edição

Seção

Artigos