PORTO DE IMBITUBA COMO ELEMENTO RESULTANTE DO COMPLEXO CARBONÍFERO CATARINENSE: GÊNESE, DESENVOLVIMENTO E PANORAMA ATUAL

Autores

  • Fernando Soares de Jesus Universidade Federal de Santa Catarina
  • José Messias Bastos Universidade Federal de Santa Catarina
  • Edson de Morais Machado Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG207146191

Palavras-chave:

Porto., Imbituba., Formação Sócio-Espacial.

Resumo

principal atividade econômica da cidade era a pesca da baleia. Mas, com a ascensão da economia carbonífera de Criciúma, a cidade foi escolhida para receber um moderno porto para movimentação especializada de produtos, o que suscitou no desaparecimento das antigas formas de organização social. O propósito deste artigo, assim, é compreender o desenvolvimento do porto e de sua hinterlândia próxima, considerando a variação de seu grau de dependência com a economia do carvão, além de entender o atual momento do porto e como ele foi influenciado pela diversificação produtiva no sul de Santa Catarina. Com referencial teórico, este artigo utilizou a categoria de formação sócio-espacial, de Milton Santos, a perspectiva de pequena produção mercantil, de Armen Mamigonian, e as ideias de combinações de André Cholley. Como resultado, um diagnóstico foi feito sobre a influência da instalação do “porto do carvão” em Imbituba, vetor de atração do aparato logístico da atividade em Imbituba e região limítrofe, bem como da sua reestruturação frente ao desmonte da economia carbonífera.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Messias Bastos, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Graduação em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC- (1980), mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996), pela linha de Pesquisa Desenvolvimento Regionais e Urbano, e cursou doutorado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo - USP (2002). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal de Santa Catarina, onde leciona a disciplina Fundamentos de Economia Política para Geografia, na graduação, e Organização do espaço mundial, Pensamento de Ignácio Rangel, entre outras, no Programa de Pós-Graduação. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Econômica, atuando principalmente nos seguintes temas: comércio, urbanização, economia, desenvolvimento e formação sócio-espacial.

Edson de Morais Machado, Universidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós-Graduação em Geografia - Desenvolvimento Regional e Urbano (DRU). Universidade Federal de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

30-08-2019

Como Citar

SOARES DE JESUS, F.; BASTOS, J. M.; DE MORAIS MACHADO, E. PORTO DE IMBITUBA COMO ELEMENTO RESULTANTE DO COMPLEXO CARBONÍFERO CATARINENSE: GÊNESE, DESENVOLVIMENTO E PANORAMA ATUAL. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 20, n. 71, p. 472–486, 2019. DOI: 10.14393/RCG207146191. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/46191. Acesso em: 21 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos