LUTA DO POVO INGARIKÓ POR RECONHECIMENTO E REDISTRIBUIÇÃO NO TERRITÓRIO SOBREPOSTO AO PARQUE NACIONAL DO MONTE RORAIMA, RR

Autores

  • Oseias Cordeiro Sartori Universidade Federal do Amazonas
  • HENRIQUE DOS SANTOS PEREIRA Universidade Federal do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG207043945

Palavras-chave:

Unidade de conservação. Território indígena. Representação. Negociação. Resistência.

Resumo

Este artigo se concentra na reação do povo Ingarikó à invisibilização praticada pelo poder público por ocasião da criação do Parque Nacional do Monte Roraima, no ano de 1989. Sua construção se apoiou no cruzamento de informações oriundas de levantamento bibliográfico e análise documental, assim como em visitas de campo voltadas à confirmação das informações acessadas. Os resultados indicaram que os indígenas consideraram sua situação de invisibilidade perante o poder público como a principal causa da criação da unidade de conservação. Como reação, iniciaram uma luta por reconhecimento e redistribuição pautada em estratégias de representação, negociação e resistência. Conclui-se que a organização de eventos denominados assembleias gerais permitiu aos autóctones a exposição de suas demandas e a oportunização de diálogos com o órgão ambiental responsável pelo parque nacional. Ao mesmo tempo, a resistência Ingarikó passou a condicionar a gestão da área sobreposta à visibilidade da territorialidade indígena e suas expectativas para o futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Oseias Cordeiro Sartori, Universidade Federal do Amazonas

Mestre em Geografia (UFRR) e graduado em Gestão Ambiental (UFPR).

HENRIQUE DOS SANTOS PEREIRA, Universidade Federal do Amazonas

Doutor em Ecologia (Pennsylvania State University), Mestre em Biologia (INPA), graduado em Agronomia (UFAM) e professor titular da UFAM>

Downloads

Publicado

31-07-2019

Como Citar

SARTORI, O. C.; PEREIRA, H. D. S. LUTA DO POVO INGARIKÓ POR RECONHECIMENTO E REDISTRIBUIÇÃO NO TERRITÓRIO SOBREPOSTO AO PARQUE NACIONAL DO MONTE RORAIMA, RR. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 20, n. 70, p. 478–491, 2019. DOI: 10.14393/RCG207043945. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/43945. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos