AVALIAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS AMBIENTAIS DE OCORRÊNCIAS DAS FEIÇÕES EROSIVAS LINEARES NOS LIMITES DEPRESSÃO-CUESTA - ANALÂNDIA (SP)

Autores

  • Estêvão Botura Stefanuto Universidade Estadual Paulista - UNESP Campus de Rio Claro
  • Cenira Maria Lupinacci Universidade Estadual Paulista - UNESP Campus de Rio Claro

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG207043159

Palavras-chave:

Erosão, Morfometria, Litologia, Solos, Uso da terra

Resumo

As áreas de contato entre as depressões de borda de bacias sedimentares e os relevos cuestiformes, quando combinadas a intenso uso agrícola, podem sofrer processos erosivos lineares. Portanto, objetiva-se discutir a evolução de feições erosivas lineares, a partir de suas interações com a litologia, os solos, a declividade e o uso da terra em setor de transição depressão-cuesta localizado em Analândia (SP). Buscando atingir o objetivo, utilizou-se um conjunto de técnicas cartográficas a fim de mapear cada uma das variáveis consideradas. Através da metodologia utilizada, constatou-se uma expressiva associação das feições erosivas à litologias arenosas e a solos espessos e pouco espessos. Os sulcos e ravinas apresentaram incidência considerável na classe de declividade de 5 a 12%, a qual, teoricamente, é avaliada como adequada a diversos tipos de uso da terra. Ainda em relação ao uso da terra, as feições erosivas lineares correlacionaram-se às áreas de pasto limpo e vegetação arbórea, fato teoricamente inesperado. Dessa forma, é possível afirmar que as características geomorfológicas do contato cuesta-depressão, junto a um intenso uso da terra, podem estar dinamizando os processos erosivos lineares em diversificadas condições físicas, algumas destas consideradas de baixa potencialidade para o desenvolvimento desses processos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

06-08-2019

Como Citar

STEFANUTO, E. B.; LUPINACCI, C. M. AVALIAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS AMBIENTAIS DE OCORRÊNCIAS DAS FEIÇÕES EROSIVAS LINEARES NOS LIMITES DEPRESSÃO-CUESTA - ANALÂNDIA (SP). Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 20, n. 70, p. 367–384, 2019. DOI: 10.14393/RCG207043159. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/43159. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos