REPRESENTAÇÃO DE ILHAS DE CALOR POR MODELAGEM ESPACIAL EM CIDADES DE PEQUENO PORTE DO OESTE PAULISTA.

Autores

  • Danielle Cardozo Frasca Teixeira Universidade Estadual Paulista Faculdade Ciências e Tecnologia
  • Gislene Figueiredo Ortiz Porangaba CPTL - UFMS
  • Margarete Cristiane de Costa Trindade Amorim Departamento de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Unesp, campus Presidente Prudente

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG207042805

Palavras-chave:

Ilha de calor, Modelagem espacial, Clima urbano, Uso da terra, Cidades pequenas.

Resumo

As ilhas de calor estão entre os problemas ambientais urbanos que são motivados pelas alterações da paisagem natural do ambiente construído. A intensidade e a manifestação deste fenômeno vêm sendo monitorada por procedimentos clássicos como rede meteorológica de superfície e rede de transectos móveis, sendo que o tratamento desses dados para a espacialização quase sempre resulta em generalizações. Desta forma, o presente artigo tem como objetivo apresentar um conjunto de procedimentos relativos à modelagem espacial da ilha de calor através da correlação estatística entre a temperatura do ar e as feições da superfície, buscando menores generalizações e maior confiabilidade no tratamento dos dados. O trabalho analisou, sem pretensões comparativas, as ilhas de calor das cidades de pequeno porte do oeste paulista Rancharia e Cândido Mota, localizadas em área de clima tropical continental em episódios de verão.   Foram detectados os bolsões de ar mais aquecidos nas duas localidades com intensidades de ilhas de calor contrastantes em virtude das características individuais dos sítios urbanos e das características atmosféricas dos episódios destacados. Em Rancharia a ilha de calor atingiu 4°C e em Cândido Mota, 5°C.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danielle Cardozo Frasca Teixeira, Universidade Estadual Paulista Faculdade Ciências e Tecnologia

Doutoranda em Geografia pela FCT-UNESP. Bolsista de doutorado FAPESP. Atua na área de Climatalogia Geográfica, clima urbano, geotecnologias e modelagem climática com ênfase em clima urbano de cidade de pequeno porte.

Gislene Figueiredo Ortiz Porangaba, CPTL - UFMS

Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - FCT - UNESP (2005), mestrado (2012) e doutorado (2015) em Geografia pela mesma instituição, com período sanduíche na Universidad Autónoma de Madrid (2014) . Atualmente é professora adjunta doutora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - campus de Três Lagoas. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: climatologia, clima urbano e cartografia.

Margarete Cristiane de Costa Trindade Amorim, Departamento de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Unesp, campus Presidente Prudente

Bolsista de Produtividade em Pesquisa 1D. Livre-docente pela UNESP-FCT (2017). Doutorado em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo, Brasil (2000). Mestrado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Presidente Prudente, Brasil (1993); Estágio na Universite de Rennes II , França (2007); Pós-Doutorado pela Universidade do Porto (2008/2009). Professora assistente doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Geografia da FCT/UNESP no período de 01/06/2010 a 31/05/2013. Orientadora de Mestrado. Orientadora de Doutorado. Atuação em Geografia Física, com ênfase nos seguintes temas: clima urbano e qualidade ambiental urbana.

Downloads

Publicado

05-08-2019

Como Citar

Teixeira, D. C. F., Ortiz Porangaba, G. F., & Amorim, M. C. de C. T. (2019). REPRESENTAÇÃO DE ILHAS DE CALOR POR MODELAGEM ESPACIAL EM CIDADES DE PEQUENO PORTE DO OESTE PAULISTA. Caminhos De Geografia, 20(70), 243–262. https://doi.org/10.14393/RCG207042805

Edição

Seção

Artigos