A SOBERANIA ALIMENTAR E A RELEITURA DO CONCEITO DE REGIÃO PELA GEOGRAFIA

Autores

  • Estevan Leopoldo de Freitas Coca Universidade Federal de Alfenas (Unifal) - curso de Geografia

DOI:

https://doi.org/10.14393/196825

Palavras-chave:

Região. Novo Regionalismo. Soberania alimentar.

Resumo

Com o processo de globalização neoliberal e a emergência de um suposto mundo sem fronteiras, a região - um dos primeiros conceitos trabalhados pela Geografia - parece perder o sentido. Contudo, como parte do caráter desigual do desenvolvimento capitalista, ao mesmo tempo se manifestam espacialmente a igualização e a diferença, o que faz com que a região mude de significado, porém, não deixe de existir. No presente texto, problematizamos essa assertiva tomando por referência a proposta alternativa de soberania alimentar, a qual tem sido defendida pela coalizão internacional La Via Campesina desde meados da década de 1990 como uma alternativa ao regime agroalimentar corporativo. Como parte dos procedimentos metodológicos, fizemos um amplo levantamento bibliográfico e documental e realizamos trabalhos de campo no Brasil e no Canada. A principal conclusão a que chegamos é que a soberania alimentar, ao defender o direito e dever de cada povo controlar o seu próprio processo de alimentação, coloca-se como um dos componentes do Novo Regionalismo, acentuando a dimensão espacial da propriedade do ser regional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Estevan Leopoldo de Freitas Coca, Universidade Federal de Alfenas (Unifal) - curso de Geografia

Professor Adjunto da Universidade Federal de Alfenas (Unifal) - curso de Geografia

Doutor em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), com período sanduíche na University of British Columbia (UBC)

Downloads

Publicado

19-12-2018

Como Citar

Coca, E. L. de F. (2018). A SOBERANIA ALIMENTAR E A RELEITURA DO CONCEITO DE REGIÃO PELA GEOGRAFIA. Caminhos De Geografia, 19(68), 372–388. https://doi.org/10.14393/196825

Edição

Seção

Artigos