EVOLUÇÃO NEO/PALEOGEOGRÁFICA DE UMA BACIA HIDROGRÁFICA, ESTUDO DE CASO: PORÇÃO CENTRO-LESTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SAPUCAÍ-MIRIM/GRANDE

Autores

  • Jairo Roberto Jiménez-Rueda Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, SP, Brasil
  • Elizandra Goldoni Gomig Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, SP, Brasil
  • Meire Mateus de Lima Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, SP, Brasil
  • Luziane Santos Ribeiro Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Geografia, Monte Carmelo, MG, Brasil

Palavras-chave:

Isobases Confluentes, Drenagem, Manejo Ambiental, Paleossuperfícies, Sustentabilidade

Resumo

A reconstrução das paleopaisagens da região do município paulista de Franca, porção centro-leste da Bacia Hidrográfica do Rio Sapucaí-Mirim/Grande, foi realizada segundo o método das Isobases Confluentes. Inicialmente procedeu-se o adensamento da rede de drenagem exposta nas folhas topográficas, em escala 1:50.000, como uma forma de controle da imagem Aster, sendo, posteriormente, ordenadas as drenagens e seus pontos de confluência. A altimetria de cada ponto foi obtida por meio da imagem de satélite Aster e foi realizada a interpolação dos pontos de mesma ordem de confluência, mediante o software ArcGis, sendo geradas as paleossuperfícies regionais. Os resultados da evolução da paisagem foram cartografados em oito ordens de isobases confluentes, o que possibilitou a reconstrução paleoambiental, paleogeográfica e paleotectônica regional desde o Cretáceo Superior até hoje. Tais produtos contribuem, deste modo, para a gestão ambiental sustentável de uma bacia hidrográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-12-2017

Como Citar

Jiménez-Rueda, J. R., Gomig, E. G., Lima, M. M. de, & Ribeiro, L. S. (2017). EVOLUÇÃO NEO/PALEOGEOGRÁFICA DE UMA BACIA HIDROGRÁFICA, ESTUDO DE CASO: PORÇÃO CENTRO-LESTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SAPUCAÍ-MIRIM/GRANDE. Caminhos De Geografia, 18(64), 376–389. Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/40948