AVALIAÇÃO DO OXIGÊNIO DISSOLVIDO NAS ÁGUAS DO RIBEIRÃO PARAÍSO EM JATAÍ-GO E CÓRREGO TAMANDUÁ EM IPORÁ-GO

Autores

  • Daiane Ferreira Batista Universidade Federal de Goiás, Jataí, GO, Brasil
  • João Batista Pereira Cabral Universidade Federal de Goiás, Jataí, GO,
  • Thiago Rocha Universidade Federal de Goiás, Jataí, GO,
  • Gustavo Rodrigues Barbosa Universidade Federal de Goiás, Jataí, GO,

Palavras-chave:

Qualidade das águas, Oxigênio dissolvido, Resolução CONAMA.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade das águas por intermédio do teor de oxigênio dissolvido (OD) no Ribeirão Paraíso no município de Jataí-GO e Córrego Tamanduá em Iporá-GO. Os valores de OD foram avaliados de acordo com os índices estipulado pela Resolução CONAMA n°357/ 2005, na qual determina o valor mínimo de 6 mg/L para que as águas se enquadrem na classe 1. No Ribeirão Paraíso as coletas ocorreram em novembro de 2014 e maio de 2015 em 11 pontos de amostragem, obtendo valores mínimos de 6,61 mg/L no ponto 4 (novembro) e 6,83 mg/L no ponto 3 (maio). No córrego Tamanduá as campanhas ocorreram nos meses de dezembro de 2016 e maio de 2017 em 7 pontos de coleta, os valores mínimos encontrados foram 4,52 mg/L (dezembro) e 3,40 mg/L (maio) ambos no ponto 5. Concluiu-se que as águas do Ribeirão Paraíso se enquadram na classe 1 e do Córrego Tamanduá nas classes 2 e 3 A má qualidade das águas do Córrego Tamanduá pode ser associada as atividades antrópicas que ocorrem na bacia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-12-2017

Como Citar

FERREIRA BATISTA, D.; PEREIRA CABRAL, J. B.; ROCHA, T.; RODRIGUES BARBOSA, G. AVALIAÇÃO DO OXIGÊNIO DISSOLVIDO NAS ÁGUAS DO RIBEIRÃO PARAÍSO EM JATAÍ-GO E CÓRREGO TAMANDUÁ EM IPORÁ-GO. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 18, n. 64, p. 296–309, 2017. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/40935. Acesso em: 10 dez. 2022.