QUALIDADE E DISPONIBILIDADE DA ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO NO CÓRREGO DO SAPO, RIO VERDE, GOIÁS

Autores

  • Túlio Pereira Parreira Universidade de Rio Verde
  • Gilmar Oliveira Santos Universidade de Rio Verde
  • Anderson Roberto Franchini dos Santos Universidade de Rio Verde

Palavras-chave:

efluentes, qualidade da água, uso do solo, monitoramento.

Resumo

O crescimento demográfico, a industrialização e o uso desordenado da água, estão provocando deterioração na qualidade da água. O presente trabalho teve como objetivo monitorar a disponibilidade e qualidade da água para fins de irrigação ao longo do córrego do Sapo no município de Rio Verde, Goiás. Foram realizadas quatro coletas no ano de 2016, sendo uma em cada estação do ano, realizadas em três pontos com diferentes influências do uso do solo. Os parâmetros avaliados foram: vazão, ferro total, cálcio, magnésio, turbidez, coliformes termotolerantes e totais. Houve redução da vazão em até 88,1% no período de estiagem em relação ao período chuvoso. No período de estiagem, houve deterioração da qualidade da água para fins de irrigação, elevando os níveis de magnésio, e maior presença de coliformes totais e termotolerantes devido a maior concentração de poluentes em relação a vazão. No período chuvoso, época de menor freqüência de irrigação, houve elevação nos parâmetros turbidez, ferro, e cálcio, devido a maior quantidade de partículas escoada para o córrego. Os pontos 2 e 3 foram os mais críticos, apresentando qualidade da água para fins de irrigação inferior devido a influência da área urbana e áreas de criação de suínos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-12-2017

Como Citar

PEREIRA PARREIRA, T.; OLIVEIRA SANTOS, G.; FRANCHINI DOS SANTOS, A. R. QUALIDADE E DISPONIBILIDADE DA ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO NO CÓRREGO DO SAPO, RIO VERDE, GOIÁS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 18, n. 64, p. 34–46, 2017. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/40907. Acesso em: 9 dez. 2022.