INDICADORES SINTÉTICOS DE QUALIDADE DE VIDA E A IDEIA DE AMBIENTE/NATUREZA

Autores

  • Denise Espíndola Moraes Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Marivaldo Aparecido Carvalho UFVJM/Professor Associado
  • Silvia Canoas Swain UFVJM/ Professora Associada

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG175809

Palavras-chave:

índices, qualidade de vida, qualidade ambiental.

Resumo

Este trabalho apresenta-se como uma pesquisa de revisão sistemática e tem como objetivo principal discutir a ideia de ambiente abordada em alguns índices de qualidade de vida sintéticos construídos no Brasil e apresentados nos trabalhos de Guimarães e Jannuzzi (2004) e Koga (2011). Para tanto, foi realizado: levantamento bibliográfico e discussão da adequação dos indicadores à ideia de natureza. Observa-se que estes indicadores funcionam como signos de determinados conceitos e que a ideia de natureza contida nos mesmos está associada com a ideia técnica quantificável. Nesta ideia considera-se como ambiente o que está a nossa volta, inclusive aquilo construído pelo homem que pode ser quantificado, menos as relações sociais. Fica evidente também a importância da construção dos índices com a participação social e a disseminação deles como orientadores de políticas públicas, pois podem legitimar discursos. Ao mesmo tempo, reafirma-se por meio destes índices a relevância de uma relação mais harmônica entre o homem e o restante da natureza, uma mudança na compreensão de natureza onde o homem se reconheça como parte desta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27-06-2016

Como Citar

MORAES, D. E.; CARVALHO, M. A.; SWAIN, S. C. INDICADORES SINTÉTICOS DE QUALIDADE DE VIDA E A IDEIA DE AMBIENTE/NATUREZA. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 17, n. 58, p. 136–148, 2016. DOI: 10.14393/RCG175809. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/30966. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos