POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE REPRODUTIVA: CONTEXTO HISTÓRICO E IMPLICAÇÕES NA MATERNIDADE EM UBERLÂNDIA-MG

Autores

  • Bárbara Beatriz da Silva Nunes Universidade Federal de Uberlândia
  • Paulo Cezar Mendes Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG165328875

Palavras-chave:

saúde reprodutiva, atenção primária, risco de morte materna.

Resumo

Este artigo objetiva apresentar uma síntese das políticas públicas de saúde brasileiras, correlacionando-as com a atenção à saúde reprodutiva desempenhada no país. Para tanto, foi analisada a conjuntura atual da saúde reprodutiva no Brasil, Minas Gerais e município de Uberlândia, tendo como suporte o cálculo de risco de morte materna (RMM), com dados provenientes do DATASUS. As análises indicaram que as políticas de saúde reprodutiva não podem ser desvinculadas das discussões de gênero e dos movimentos sociais de luta. Os RMM analisados sugerem uma alta no risco de morte, o que indica a necessidade de revisões nas políticas de saúde reprodutiva e de integralidade, bem como o fortalecimento da atenção primária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

24-03-2015

Como Citar

NUNES, B. B. da S.; MENDES, P. C. POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE REPRODUTIVA: CONTEXTO HISTÓRICO E IMPLICAÇÕES NA MATERNIDADE EM UBERLÂNDIA-MG. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 16, n. 53, p. 81–100, 2015. DOI: 10.14393/RCG165328875. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/28875. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos