CARACTERIZAÇÃO DO PERFIL VEGETATIVO PROP͍CIO A QUEIMA A PARTIR DE DADOS ORBITAIS DO SENSOR MODIS

Autores

  • Jonathan Rocha Miranda Universidade Federal de Lavras
  • Gracielle de Brito Sales Universidade Federal de Minas Gerais
  • Cristina Rodrigues Nascimento Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG165628856

Palavras-chave:

Proliferação de queima, índices espectrais, mineração de dados

Resumo

As brigadas de incêndio exercem papel de combate e prevenção a incêndios florestais, sendo que os trabalhos de vigilância têm como alvo operacional a busca por presença de focos ativos. O monitoramento pontual em locais susceptíveis a queima ainda é um tema pouco trabalhado devido à variabilidade dos fatores que contribuem para a proliferação do fogo, tais como as condições do material combustível. Neste contexto, a presente pesquisa teve como objetivo avaliar a dinâmica de tendência de proliferação da queima, em função dos agentes dispersores, através da correlação dos índices espectrais NDVI e NDWI em relação à extensão dos fragmentos de queimadas. Os dados foram integralizados a árvore de decisão que estabeleceu um conjunto de regras, baseado nas observações de seca antes do início do incêndio. Em resposta ao processamento empregado, obteve-se um algoritmo capaz de mapear as áreas sensíveis ao fogo em função da condição da vegetação seca. Neste estudo, foi possível pré-determinar cerca de 20% dos fragmentos encontrados pós-queima, resultado que pode auxiliar as equipes de brigadistas no combate e prevenção aos incêndios florestais, determinar as áreas prioritárias quanto ao monitoramento pontual, dos locais susceptíveis a queima.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

11-12-2015

Como Citar

MIRANDA, J. R.; SALES, G. de B.; NASCIMENTO, C. R. CARACTERIZAÇÃO DO PERFIL VEGETATIVO PROP͍CIO A QUEIMA A PARTIR DE DADOS ORBITAIS DO SENSOR MODIS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 16, n. 56, p. 73–83, 2015. DOI: 10.14393/RCG165628856. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/28856. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos