O CARNAVAL DE MARAGOGIPE-BA COMO PATRIMÔNIO IMATERIAL: UMA LEITURA A PARTIR DA GEOGRAFIA CULTURAL

Autores

  • Erick Gomes Conceição Universidade do Estado da Bahia
  • Janio Roque Barros de Castro Professor Doutor da Universidade do Estado da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG155023689

Palavras-chave:

Carnaval, Patrimônio Imaterial, Cultura Popular

Resumo

O carnaval é uma das festas mais antigas que se têm registros. Estudos datam que as primeiras manifestações ocorreram a cerca de 3000 anos a.C. No Brasil essas festividades ocorrem nas mais variadas formas em diferentes espaços, contribuindo assim, para a manutenção da cultural popular. Diante de sua importância cultural, o IPAC registrou o carnaval de Maragogipe como Patrimônio Imaterial da Bahia no ano de 2009, estando no livro de registro três, que abrange as celebrações. Nessa perspectiva, esse trabalho se propõe a identificar as novas leituras que os maragogipanos fazem desse carnaval após o registro em patrimônio imaterial da Bahia. Como método foi utilizado a fenomenologia da percepção e os procedimentos metodológicos foram realizadas entrevistas com sete moradores locais. A pesquisa identificou uma tendência a turistificação e mercantilização do carnaval de Maragagogipe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

13-06-2014

Como Citar

CONCEIÇÃO, E. G.; CASTRO, J. R. B. de. O CARNAVAL DE MARAGOGIPE-BA COMO PATRIMÔNIO IMATERIAL: UMA LEITURA A PARTIR DA GEOGRAFIA CULTURAL. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 15, n. 50, p. 114–126 , 2014. DOI: 10.14393/RCG155023689. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/23689. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos