DO BNH AO MINHA CASA MINHA VIDA: MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NA POLÍTICA HABITACIONAL

Autores

  • Viviane Fernanda de Oliveira Mestranda do Departamento de pós graduação em Geografia da FCT UNESP Presidente Prudente Área: Geografia Urbana

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG155022937

Palavras-chave:

marketing imobiliário, cotidiano, estandardização habitacional.

Resumo

A política habitacional brasileira passou por diferentes programas habitacionais no decorrer de sua história. A breve retomada de alguns de seus princípios a partir da década de 60, com a constituição do BNH é o caminho inicial adotado para compreender quais são as permanências e mudanças do atual programa habitacional Minha Casa Minha Vida, se comparado a planos anteriores. A partir da Homex, construtora mexicana especializada na produção em massa de residências, o presente artigo busca estabelecer o diálogo entre o papel das construtoras/incorporadoras imobiliárias e o Minha Casa Minha Vida, com o intuito de compreender quais as principais implicações dos padrões habitacionais dessas empresas junto a políticas governamentais no cotidiano de futuros moradores. O uso das imagens na venda dessas residências e o papel da proximidade/distância geradas por seus padrões de construção são problematizadas ao longo do texto, que objetiva, a partir desses elementos, propor questões de cunho teórico metodológico que auxiliem em futuras pesquisas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

13-06-2014

Como Citar

OLIVEIRA, V. F. de. DO BNH AO MINHA CASA MINHA VIDA: MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NA POLÍTICA HABITACIONAL. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 15, n. 50, p. 36–53 , 2014. DOI: 10.14393/RCG155022937. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/22937. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos