CONSIDERAÇÕES SOBRE A SOCIOECONOMIA SOLIDÁRIA E O TERCEIRO SETOR

Autores

  • Renata Rodrigues da Silva Mestranda da Universidade Federal de Uberlândia
  • Geisa Daise Gumiero Cleps Professora do Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia

Resumo

O capitalismo, embora seja um modo de produção bastante resistente, capaz de enfrentar várias crises e, ainda assim se fortalecer depara-se com formas de resistências, uma vez que esse sistema é sustentado por desigualdades e injustiças. Como exemplo dessas resistências destaca-se a socioeconomia solidária ou economia solidária, que se constitui em uma alternativa de geração de trabalho e renda, buscando a inserção de excluídos social e economicamente na sociedade. Entende-se por socioeconomia solidária, alternativas que visem minimizar problemas relacionados ao desemprego crescente, sendo também uma fonte de geração de renda para parte da população que não é atendida pelo modo capitalista de produção. A prática de socioeconomia solidária constitui-se como um fenômeno antigo, tendo origem com a Revolução Industrial. Porém, observa-se um incentivo maior a esta outra economia a partir das últimas décadas do século XX, principalmente no Brasil, destacando-se o processo de expansão da socioeconomia solidária no país, bem como no estado de Minas Gerais. Neste sentido, o presente trabalho tem como objetivo analisar a atual situação da socioeconomia solidária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-08-2011

Como Citar

Rodrigues da Silva, R., & Gumiero Cleps, G. D. (2011). CONSIDERAÇÕES SOBRE A SOCIOECONOMIA SOLIDÁRIA E O TERCEIRO SETOR. Caminhos De Geografia, 12(38). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16501

Edição

Seção

Artigos