OLHARES GEOGRÁFICOS SOBRE O PROJETO AGENTE JOVEM DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E HUMANO: A CONSTITUIÇÃO DE INTERFACES E O VIÉS SOCIAL EM PERSPECTIVA

Autores

  • Marcelo Ramos Ferreira
  • Fabio da Silva Gonçalves

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG123916306

Palavras-chave:

Geografia Crítica, Desenvolvimento Social, Agente Jovem

Resumo

O presente artigo pretende analisar o projeto social "Agente Jovem de desenvolvimento social e humano", à luz da Geografia Crítica, para estabelecer suas interfaces e para abordar alguns elementos inerentes à marca distintiva das transformações epistemológicos da geografia, bem como discutir o papel do Estado na gestão das políticas sociais. Para tanto, a pesquisa bibliográfica foi utilizada como metodologia. É um trabalho que tem três elementos constitutivos na sua base, quais sejam: o Estado, o programa social Agente Jovem e a Geografia. Entre estes poderes, - suas interfaces serão analisadas de forma a convergir para obliqüidade socioespacial. Neste sentido, é destinado a estabelecer correlações entre esses elementos e as suas influências na organização do espaço geográfico dinâmico. Portanto, este artigo é muito importante para a discussão geográfica que atualmente vivenciada (?), onde o então espaço social conhecido sublinha (suscita?) inúmeros discursos e análises um tanto dialéticas(ou pouco lógicas).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-09-2011

Como Citar

FERREIRA, M. R.; GONÇALVES, F. da S. OLHARES GEOGRÁFICOS SOBRE O PROJETO AGENTE JOVEM DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E HUMANO: A CONSTITUIÇÃO DE INTERFACES E O VIÉS SOCIAL EM PERSPECTIVA. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 12, n. 39, p. 198–208, 2011. DOI: 10.14393/RCG123916306. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16306. Acesso em: 12 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos