DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA TUBERCULOSE NO MUNICÍPIO DE SOROCABA, SÃO PAULO, BRASIL, 2000 - 2007

Autores

  • Luiz Augusto Manfré UNESP - Campus Sorocaba
  • Roberto Wágner Lourenço UNESP - Campus Sorocaba
  • Maria Rita Donalísio UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG113516147

Palavras-chave:

Tuberculose, Indicadores sócio-econômicos, Estatística especial, Geoprocessamento

Resumo

A tuberculose é uma doença declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como emergência mundial, sendo que o Brasil, de acordo com o relatório de 2008 da OMS, se encontra na 16º posição no ranking dos países com mais registros. Este trabalho teve como objetivo estudar a epidemiologia da tuberculose no município de Sorocaba, SP, Brasil, entre os anos de 2000 e 2007, levando em consideração os indicadores de morbi-mortalidade e a influência do perfil sócio-econômico na área de estudo. Foram utilizados programas de edição e tratamento de banco de dados e de cartografia digital para sistematização e geoprocessamento das informações georreferenciadas. Os resultados obtidos mostraram indicadores de morbi-mortalidade da tuberculose na área de estudo com valores baixos, quando comparados aos do estado de São Paulo ou com os níveis brasileiros. Também foram gerados mapas com a distribuição espacial da tuberculose, e elaborados mapas das áreas de risco epidemiológico à ocorrência da tuberculose nos bairros da área de estudo. Através da análise dos mapas foi observado que a distribuição espacial da tuberculose não possui um padrão intra-urbano homogêneo na área de estudo, sendo que os locais com valores mais elevados de ocorrência se concentraram principalmente nos bairros da região central. O estudo mostrou-se bastante eficaz na determinação da condição epidemiológica da doença, e em função disto pode-se supor que o planejamento urbano deve ser melhorado, de maneira a atender as demandas de saúde e prevenção de proliferação de doenças infecciosas, principalmente nos bairros apontados como sendo os de maior risco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Augusto Manfré, UNESP - Campus Sorocaba

Engenheiro Ambiental formado na UNESP - Sorocaba, mestrnado em Engenharia Ambiental na UNESP.

Roberto Wágner Lourenço, UNESP - Campus Sorocaba

Graduado pela UNESP em Geografia (1995), com mestrado e doutorado em Geociências e Meio Ambiente pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Pós-doc pelo Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina de Botucatu (UNESP). Atualmente é Professor Assistente Doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) Campus de Sorocaba responsável pelas disciplinas de Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto e SIG e Aplicações Ambientais do curso de Engenharia Ambiental. Professor do programa de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas de Campinas (UNICAMP) em Saúde Coletiva e Preventiva Social atuando Geoprocessamento aplicado a epidemiologia e Sensoriamento Remoto aplicado a saúde e meio ambiente.

Maria Rita Donalísio, UNICAMP

Graduação em Medicina pela Universidade Estadual de Campinas (1981) e doutorado em Ciências Médicas pela Universidade Estadual de Campinas (1995). Atualmente é professor associado da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia de Doenças Infecciosas, atuando principalmente nos seguintes temas: doenças respiratórias, endemias rurais, vigilância epidemiológica, aids, dengue e método epidemiológico. Coordena a Disciplina de Epidemiologia. Representante Departamental na Comissão de Residência Médica. Assessoria na Comissão Técnica de Controle das Doenças Meningocócica na Região de Campinas e Coordenadora do programa de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas de Campinas (UNICAMP) em Saúde Coletiva e Preventiva Social.

Downloads

Publicado

15-09-2010

Como Citar

MANFRÉ, L. A.; LOURENÇO, R. W.; DONALÍSIO, M. R. DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA TUBERCULOSE NO MUNICÍPIO DE SOROCABA, SÃO PAULO, BRASIL, 2000 - 2007. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 11, n. 35, p. 29–43, 2010. DOI: 10.14393/RCG113516147. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16147. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos