MEDIDAS MITIGADORAS PARA FRAGMENTAÇÕES FLORESTAIS: O CASO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP

Autores

  • Silas Nogueira de Melo
  • Anderson Fernando Guarda
  • Gilvan Charles Cerqueira de Araújo
  • Jaime Lopes Batista

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG113316138

Palavras-chave:

Fragmentação Florestal, Flora, Fauna, Histórico, São José do Rio Preto

Resumo

O trabalho disserta sobre o histórico do uso e ocupação do solo na região de São José do Rio Preto e sobre a fauna (com prioridade aos vertebrados) e a flora remanescente. Após o levantamento desses dados, foi levantada uma discussão acerca dos efeitos da fragmentação florestal, causada pelo histórico de ocupação da região, sobre a fauna e a flora silvestre e quais as possíveis medidas podem ser tomadas visando à conservação dos ecossistemas que ainda resistem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silas Nogueira de Melo

Mestrando em Geografia pela UNESP, Rio Claro – SP

Anderson Fernando Guarda

Analista ambiental graduado em Geografia pela UNESP, Rio Claro – SP

Gilvan Charles Cerqueira de Araújo

Graduado em Geografia pela UNESP, Rio Claro – SP

Jaime Lopes Batista

Graduado em Geografia pela UNESP, Rio Claro - SP

Downloads

Publicado

22-03-2010

Como Citar

MELO, S. N. de; GUARDA, A. F.; ARAÚJO, G. C. C. de; BATISTA, J. L. MEDIDAS MITIGADORAS PARA FRAGMENTAÇÕES FLORESTAIS: O CASO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 11, n. 33, p. 189–201, 2010. DOI: 10.14393/RCG113316138. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16138. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos