ANÁLISE DE CONFLITO ENTRE LEGISLAÇÃO E USO DA TERRA: AVALIAÇÃO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICPIO DE ITABIRA, MG

Autores

  • Francisco de Assis Braga José Cupertino Braga e Laurita Filomena Braga

Palavras-chave:

área de preservação permanente

Resumo

Este estudo teve por objetivos mapear e quantificar as áreas de Preservação Permanente (APPs), previstas na Lei Federal 4771/65, no município de Itabira, Minas Gerais, através do uso de ferramentas de geoprocessamento, e identificar usos conflituosos frente à legislação. Os dados revelaram que 42% do território itabirano é legalmente definido como APP. Destas áreas, 59% se encontram em uso conflituoso, onde predomina a pastagem, presente em 46% das APPs do município. Em média, a taxa de ocupação conflituosa em APP por tipo de uso do solo é superior a 36%, sendo 53% e 4% os valores extremos, referentes à mineração e ao uso industrial, respectivamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco de Assis Braga, José Cupertino Braga e Laurita Filomena Braga

Engenheiro florestal (UFLA, 1986) MS Solos e nutrição de plantas (UFLA, 1992) DS Ciência Florestal (UFV, 2007) Docente na Universidade do Estado de Minas Gerais

Downloads

Publicado

23-08-2010

Como Citar

Braga, F. de A. (2010). ANÁLISE DE CONFLITO ENTRE LEGISLAÇÃO E USO DA TERRA: AVALIAÇÃO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICPIO DE ITABIRA, MG. Caminhos De Geografia, 11(34). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16077

Edição

Seção

Artigos