A RELAÇÃO DA PEGADA ECOLÓGICA COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL / CÁLCULO DA PEGADA ECOLÓGICA DE TORIBATÉ

Autores

  • Anaisa Moreira Firmino
  • Helaine Maria Naves dos Santos
  • José Hermano Almeida Pina
  • Patrísia de Oliveira Rodrigues
  • Manfred Fehr

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG103215931

Palavras-chave:

pegada ecológica, recursos naturais, planejamento e gestão municipal

Resumo

É bastante clara a grande necessidade de se buscar um equilíbrio entre o uso dos recursos naturais e a verdadeira capacidade de suporte da natureza frente às intervenções humanas. Diante disso, esse trabalho tem como objetivo trabalhar com o conceito de Pegada Ecológica (PE) enquanto uma ferramenta de auxílio no planejamento e gestão ambiental de uma cidade de médio porte (600 mil habitantes), sendo assim possível observar as reais necessidades de racionalização das ações tanto individuais como coletivas dentro de uma cidade. Metodologicamente, buscou-se, através da PE, identificar e estabelecer indicadores de sustentabilidade capazes de minimizar impactos negativos que impactam diretamente não só os recursos naturais como também a própria população local. Fundamentalmente, foram usados alguns trabalhos já desenvolvidos em determinadas cidades bem como metas e diretrizes propostas em algumas cúpulas ambientais mundiais que estão direta ou indiretamente relacionadas com a PE. A partir dos itens escolhidos para o cálculo da PE, os impactos gerados pelas atividades humanas estão relacionados diretamente à poluição do ar, destacando-se a emissão de gás carbônico, ao consumo de alimentos e o consumo de carne bovina. Em síntese, os impactos evidenciados revelam a amplitude das conseqüências das atividades humanas. A abrangência a nível local, regional ou global dos impactos é demonstrada pela interdependência existente entre as regiões; com isso, o déficit ecológico do ecossistema urbano ressalta a dependência do município de outras regiões, e, principalmente dos recursos naturais situados fora das fronteiras do sistema local. Surge então a necessidade de mudanças na administração municipal, e as informações reveladas contribuem para os administradores públicos tomarem melhores decisões, contribuindo assim para o processo de planejamento e gestão ambiental no âmbito municipal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anaisa Moreira Firmino

Geógrafa, mestranda em Geografia pelo IG/UFU

Helaine Maria Naves dos Santos

Geógrafa, especialista em Educação ambiental, mestre em planejamento e conservação ambiental - FECIV/UFU, doutoranda em geografia IG/UFU.

José Hermano Almeida Pina

Turismólogo UFPB; mestrando

Patrísia de Oliveira Rodrigues

Bióloga - IB/UFU

Manfred Fehr

Prof. Dr – IG/UFU

Downloads

Publicado

04-01-2010

Como Citar

FIRMINO, A. M.; SANTOS, H. M. . N. dos; PINA, J. H. A.; RODRIGUES, P. de O.; FEHR, M. A RELAÇÃO DA PEGADA ECOLÓGICA COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL / CÁLCULO DA PEGADA ECOLÓGICA DE TORIBATÉ. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 10, n. 32, p. 41–56, 2010. DOI: 10.14393/RCG103215931. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15931. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos