ALTERAÇÕES NA PAISAGEM E SEUS IMPACTOS DIRETOS NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTES DAS NASCENTES DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIBEIRÃO TABOCA (DF): UMA ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL 1964-2004

Autores

  • Gustavo Bayma Siqueira da Silva Mestre e Bolsista - INPE
  • Valdir Adilson Steinke Prof. Adjunto - Depto. de Geografia - Universidade de Brasília - UnB

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG103215922

Palavras-chave:

Análise Ambiental, Planejamento Urbano, Geoprocessamento.

Resumo

A bacia hidrográfica do ribeirão Taboca, localizada no Distrito Federal-DF, se apresenta como área importante para observação dos processos de alteração da paisagem do Cerrado. A referida área, nos últimos 40 anos, passou por profundas transformações, as quais foram impostas pela dinâmica do antropismo, e fez com que atualmente tenhamos uma atenção especial para os recursos hídricos desta bacia. Este trabalho teve como objetivo analisar a dinâmica do uso da terra, sobrepondo às nascentes, com vistas a identificar as áreas de maior vulnerabilidade sócio-ambiental. Foram utilizadas informações obtidas por interpretação de imagens dos anos de 1964, 1973, 1984, 1994 e 2004 para o uso da terra e pelas drenagens na escala de 1:10.000, para geração do mapa de nascentes. Os resultados mostram que a paisagem, até aqui, passou por três períodos completamente distintos e começa a entrar em um novo. Originalmente, era composta de vegetação nativa característica do Cerrado. Com a construção de Brasília a região foi utilizada para cultivo de pinus e eucalipto, com a finalidade de subsidiar a construção civil, e ocorrendo num terceiro momento a substituição para ocupação urbana, com condomínios horizontais e começando o adensamento urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

04-01-2010

Como Citar

SILVA, G. B. S. da; STEINKE, V. A. ALTERAÇÕES NA PAISAGEM E SEUS IMPACTOS DIRETOS NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTES DAS NASCENTES DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIBEIRÃO TABOCA (DF): UMA ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL 1964-2004. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 10, n. 32, p. 87–99, 2010. DOI: 10.14393/RCG103215922. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15922. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos