CIDADE PARTIDA: SEGREGAÇÃO INDUZIDA E AUTO-SEGREGAÇÃO URBANA

Autores

  • Orlando Moreira Júnior Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG113315899

Palavras-chave:

auto-segregação, segregação induzida, produção do espaço urbano.

Resumo

Este artigo apresenta algumas considerações sobre aspectos da segregação sócio-espacial urbana, numa análise que parte do processo de produção social do espaço urbano, que resulta em uma cidade cada vez mais descontinua, social e espacialmente. Desse modo, procura-se discorrer a respeito da segregação urbana em duas dimensões distintas: a segregação induzida e a auto-segregação urbana. A primeira relacionada as camadas menos abastadas que ocupam as áreas mais precárias, enquanto que a segunda trata das novas formas de habitats urbanos (como os loteamentos fechados) produzidos paras as classes de alto padrão econômico. Esses processos geram uma cidade cada vez mais fragmentada, uma cidade partida, onde os semelhantes passam a conviver entre si, rompendo-se com a possibilidade de (con) viver com as diferenças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Orlando Moreira Júnior, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Graduado em Geografia pela UNESP de Presidente Prudente em 2007. Atualmente aluno do mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Bolsista Fapesp.

Downloads

Publicado

22-03-2010

Como Citar

MOREIRA JÚNIOR, O. CIDADE PARTIDA: SEGREGAÇÃO INDUZIDA E AUTO-SEGREGAÇÃO URBANA. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 11, n. 33, p. 1–10, 2010. DOI: 10.14393/RCG113315899. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15899. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos