O SERTÃO EM PROSA E VERSO: TRANSFORMAÇÕES OCORRIDAS NO CERRADO MINEIRO DESCRITAS PELA LITERATURA DOS POETAS E DOS CANCIONEIROS POPULARES

Autores

  • Naiara Cristina Azevedo Vinaud PET Geografia - UFU
  • Alécio Perini Martins Universidade Federal de Uberlândia
  • Fernanda Ribeiro Amaro Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG82315668

Palavras-chave:

Geografia, Literatura, Sertão, Cerrado, Identidade

Resumo

Este artigo busca, por meio de um raio-x no processo de "desconstrução" e "reconstrução" da região central do país, do Sertão das lembranças à  Brasília sem passado, representar a realidade sertaneja em verso e prosa no que tange à percepção sensível e também aos fatos. O sertão-lugar é relacionado com a linguagem e com aspectos sócio-culturais, revelando nas vozes de grandes autores e poetas, especialmente João Guimarães Rosa, vários sertões. Estabelecendo um retrato das principais transformações econômicas, geográficas e culturais do Cerrado, em foco aqui o mineiro, pelo intenso processo de ocupação, este artigo relata o drama e a luta do sertanejo: para preservar o potencial do cerrado, para imortalizar a memória e a linguagem desta terra e, principalmente, para manter a identidade tão rica e misteriosa que brota deste "desertão".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

19-10-2007

Como Citar

VINAUD, N. C. A.; MARTINS, A. P.; AMARO, F. R. O SERTÃO EM PROSA E VERSO: TRANSFORMAÇÕES OCORRIDAS NO CERRADO MINEIRO DESCRITAS PELA LITERATURA DOS POETAS E DOS CANCIONEIROS POPULARES. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 8, n. 23, p. 105–110, 2007. DOI: 10.14393/RCG82315668. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15668. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos